Rede hidrometeorológica alargada a todas as ilhas até final do ano

Rede hidrometeorológica alargada a todas as ilhas até final do ano

 

Lusa/AO online   Regional   8 de Abr de 2016, 15:12

Todas as ilhas dos Açores vão estar cobertas, até ao final do ano, com estações hidrometeorológicas automáticas, o que vai permitir defender pessoas e bens em caso de intempéries, informou a Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente.

 

"Até à data estão concluídas em termos de construção civil 21 estações. Já foram rececionados equipamentos para 20 estações, que aguardam em armazém melhoria do tempo para a sua montagem no terreno", adiantou a tutela, explicando que até ao final de 2016 a região "ficará dotada de 99 estações automáticas" distribuídas pelas nove ilhas.

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, foi hoje conhecer os trabalhos de instalação da estação meteorológica da Fonte do Trevo, no Corvo, a última iniciativa integrada na visita estatutária que o executivo regional terminou à ilha mais pequena do arquipélago.

A primeira fase da rede hidrometeorológica da região abrangeu as ilhas de São Miguel, Santa Maria e, parcialmente, o Pico, onde em junho de 2015 se assinalou o início da segunda fase, com a consignação do contrato para a execução das estações hidrometeorológicas automáticas nas ilhas do Pico, Faial, Terceira, São Jorge, Graciosa, Flores e Corvo, num investimento superior a um milhão de euros.

De acordo com a Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente, "o conhecimento atempado do ciclo hidrológico permite a perceção rigorosa das disponibilidades hídricas" e a "defesa de pessoas e bens contra fenómenos extremos" que podem resultar em cheias, inundações e movimentos de massas.

"A automatização das estações e teletransmissão de dados 'on-line' permite a qualquer cidadão o acesso à informação atualizada para fins pessoais, profissionais e científicos, contribuindo para uma gestão participada e cidadania", acrescenta.

A rede é composta por três tipos de equipamentos - meteorológicos e os que medem a humidade e os caudais das lagoas --, possibilitando à região dispor, em tempo real, de dados sobre a temperatura, precipitação, humidade, velocidade e direção do vento, a radiação solar, a insolação e a evaporação.

Para conseguir a operacionalidade de todos os equipamentos e a fiabilidade dos dados registados, a Direção Regional do Ambiente estabeleceu uma parceria com o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), "para acompanhamento e avaliação das condições de aquisição, transmissão, receção e armazenamento de dados das estações, 24 sobre 24 horas".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.