PS diz que "falta pouco" para PSD culpar Governo Regional pelo mau tempo

PS diz que "falta pouco" para PSD culpar Governo Regional pelo mau tempo

 

Lusa/AO online   Regional   12 de Mar de 2018, 15:26

O grupo parlamentar do PS/Açores criticou esta segunda-feira as "acusações irresponsáveis" do PSD da região sobre a operacionalidade no porto da Madalena, considerando que foram descontextualizadas "afirmações" e alimentadas críticas "contra tudo e contra todos".

"Infelizmente este é o PSD que, à imagem do seu líder, Duarte Freitas, é capaz de tudo – até das mais irresponsáveis afirmações – em troco de uns minutos de protagonismo fácil. Os sucessivos comunicados emitidos pelos sociais-democratas demonstram bem o seu desespero mediático, que os levou a atacar primeiro a secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas, descontextualizando as suas afirmações (...) e agora o presidente do Governo Regional", frisa o PS/Açores, em nota endereçada à imprensa.

Os socialistas dizem que "só falta" que "este" PSD "venha também responsabilizar o Governo dos Açores pelas más condições climatéricas e do estado do mar, que condicionam as operações marítimas no porto da Madalena", na ilha do Pico.

E concretizam: "Se há responsabilidades a assacar a Vasco Cordeiro, o grupo parlamentar do PS/Açores não se coíbe de o fazer: Vasco Cordeiro é, de facto, responsável pela extraordinária revolução que se operou nos transportes marítimos nos Açores, recuperando aquilo que o PSD/Açores conseguiu destruir, como bem demonstram os números de passageiros e viaturas transportadas, que batem todos os recordes imagináveis".

Antes, o líder do PSD/Açores havia acusado o presidente do Governo Regional de “falsidade” na operacionalidade do porto da Madalena, na ilha do Pico, onde naufragou recentemente o navio “Mestre Simão”.

Duarte Freitas recordou que, quando foi lançado o projeto das obras dos portos da Madalena e Horta, bem como a aquisição dos barcos "Mestre Simão" e "Gilberto Mariano", Vasco Cordeiro, então secretário regional, “garantiu que não haveria diminuição da frequência das viagens” entre as ilhas do Faial e do Pico, nem aumento dos bilhetes, a par da manutenção das condições de operacionalidade, o que, sustenta o social-democrata, não se verificou.

“O que é que sucedeu? Houve diminuição das frequências, o que constitui a primeira falsidade de Vasco Cordeiro, aumento dos bilhetes, o que é uma segunda falsidade, e a operacionalidade foi diminuída, terceira falsidade”, declarou Duarte Freitas à agência Lusa.

Para o dirigente social-democrata há uma “altíssima responsabilidade” do presidente do Governo Regional, porque as obras realizadas em ambos os portos “assassinaram as condições de operacionalidade”, nomeadamente no porto da Madalena, que “poderá ser uma das razões” do acidente com o navio "Mestre Simão".

A par deste fator, Duarte Freitas frisou que se assiste ao cancelamento de viagens para “níveis que nunca tinham acontecido” entre aquelas duas ilhas do grupo central dos Açores.

Entretanto, o grupo parlamentar do PSD/Açores, na sequência de uma nota do Governo Regional, e em informação enviada à imprensa, considerou que este “insiste em afirmar que a Autoridade Marítima proibiu novamente a operação dos navios «Cruzeiro do Canal» e «Cruzeiro das Ilhas» no terminal João Quaresma, mesmo depois de o capitão do Porto da Horta ter afirmado, à RTP/Açores, que a Autoridade Marítima não deu qualquer instrução no sentido de impedir a utilização pelos dois navios daquele terminal”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.