PS acusa PSD de "pura hipocrisia política" sobre contaminação das Lajes

PS acusa PSD de "pura hipocrisia política" sobre contaminação das Lajes

 

Lusa/AO online   Regional   15 de Mar de 2018, 11:35

O líder parlamentar do PS/Açores, André Bradford, acusou esta quinta-feira o PSD da região de "pura hipocrisia política" em declarações sobre a contaminação de solos e aquíferos na ilha Terceira.

"Quem mudou radicalmente de posição agora foi o PSD, fingindo ou esperando que os açorianos não se lembrassem do que foi dito entretanto", declarou Bradford, referindo-se a declarações na quarta-feira do líder do PSD/Açores, Duarte Freitas, que acusou o Governo Regional de ter criado “alarmismos” sobre a contaminação ao ter reivindicado um valor avultado para a limpeza ambiental.

O líder da bancada parlamentar do PS nos Açores deu como exemplo um artigo do deputado do PSD à Assembleia da República António Ventura para dizer que os sociais-democratas é que davam corpo às "teses mais catastrofistas" e de "dúvida sobre a atuação" do Governo dos Açores.

E concretizou: "Estas declarações são inaceitáveis em política. Não se pode dizer durante anos uma coisa e logo a seguir dizer outra. O que interessa é arranjar sempre uma forma de colocar sobre o Governo Regional e o PS os aspetos negativos de qualquer matéria".

Em 2015, na sequência do anúncio de redução militar norte-americana na base das Lajes, o Governo Regional apresentou o Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira (PREIT), em que reivindicava uma compensação dos Estados Unidos (EUA) na ordem dos 167 milhões de euros anuais, durante 15 anos, dos quais 100 milhões se destinavam a "reconversão e limpeza ambiental".

“O Governo Regional dos Açores lançou um alarmismo inusitado quando disse que eram precisos 1,5 mil milhões de euros para recuperar os passivos ambientais da ilha Terceira”, declarou na quarta-feira o líder do PSD/Açores.

Segundo Duarte Freitas, ou esse valor era, de facto, necessário ou o executivo açoriano lançou um “alarmismo indevido”.

“Ou era, de facto, verdade isso que o Governo Regional pretendia, e, portanto, não era alarmismo ou, se não era verdade, foi um alarmismo indevido que o Governo Regional provocou ou então queria sacar dinheiro indevidamente”, apontou.

O ministro da Defesa Nacional disse esta semana que o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) identificou 41 locais contaminados na ilha Terceira, dos quais alguns já foram descontaminados ou remediados e outros exigem um reforço de análises, por haver uma divergência com os Estados Unidos da América.

Azeredo Lopes anunciou ainda a realização de um novo estudo pelo LNEC e pelo Laboratório Regional de Engenharia Civil para atualizar os dados existentes.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.