PS/Açores reúne-se em congresso de 14 a 16 de setembro na ilha Terceira

PS/Açores reúne-se em congresso de 14 a 16 de setembro na ilha Terceira

 

Lusa / AO online   Regional   17 de Mar de 2018, 21:18

O Partido Socialista dos Açores reúne-se em congresso de 14 a 16 de setembro na Praia da Vitória, na ilha Terceira, realizando eleições em junho, revelou hoje o vice-presidente e membro do secretariado regional, André Bradford.


"Foi necessário fixar as datas das eleições que dizem respeito à eleição do presidente do PS/Açores, dos delegados a esse mesmo congresso e das estruturas de ilha e locais do Partido Socialista dos Açores, que serão feitas em simultâneo a 22 e 23 de junho", adiantou.

André Bradford, que é também líder da bancada parlamentar do PS na Assembleia Legislativa dos Açores, falava em declarações aos jornalistas à margem de uma reunião da comissão regional do PS, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

Para além de agendarem as eleições e o congresso regional, os socialistas açorianos analisaram a situação política regional, concluindo que há indicadores socioeconómicos que demonstram "uma evidente e salutar recuperação da economia".

"Ao nível do emprego, por exemplo, reduzimos felizmente com o esforço de todos os açorianos a taxa de desemprego para metade do que era há três ou quatro anos", salientou André Bradford.

O dirigente socialista considerou que o crescimento económico não se verifica apenas no setor do turismo, mas nas atividades económicas com maior peso na região.

"Há indicadores que dizem respeito à venda de automóveis, à venda de cimento, ao licenciamento de edifícios, até na pesca, com a quantidade de pescado entregue e com o valor desse pescado. Todos esses indicadores configuram que este movimento ascendente da nossa economia não é exclusivo do turismo", frisou.

André Bradford criticou também os ataques da oposição, referindo-se às declarações do líder do PSD/Açores, que esta semana acusou o Governo Regional de ter lançado "alarmismo" sobre a contaminação de solos e aquíferos na ilha Terceira, provocada pela Força Aérea norte-americana na base das Lajes, ao ter reivindicado, em 2015, uma verba de 1,5 mil milhões de euros para a limpeza ambiental.

"Isso deixa ainda mais evidente algo que nos preocupa e que é a forma extremista e radical como a oposição na região tem feito política e procura a cada momento e a pretexto de qualquer assunto atacar o Partido Socialista e o governo do Partido Socialista, como se viu aliás recentemente no que diz respeito ao caso da contaminação de terrenos e aquíferos na base das Lajes", apontou.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.