PS/Açores diz que Passos Coelho desmentiu PSD regional nos impostos

PS/Açores diz que Passos Coelho desmentiu PSD regional nos impostos

 

Lusa/AO online   Regional   28 de Out de 2014, 16:46

O PS/Açores considerou que o primeiro-ministro "desmentiu" o líder do PSD regional, Duarte Freitas, que na semana passado tinha dito que Passos Coelho iria ao arquipélago anunciar "a boa nova" da "baixa de impostos" na região.

 

“E ao terceiro dia de visita oficial aos Açores, o primeiro-ministro e líder do PSD nacional desmentiu o PSD/Açores”, disse André Bradford, dirigente do PS açoriano, em declarações aos jornalistas na Horta, à margem dos trabalhos do parlamento da região.

Bradford lembrou a conferência de imprensa que Duarte Freitas deu na sexta-feira passada, em Ponta Delgada, em que, segundo o socialista, anunciou “a boa nova e a boa nova era que Pedro Passos Coelho vinha aos Açores anunciar a baixa de impostos”.

“Hoje, no Pico, o primeiro-ministro sentiu a necessidade de explicar melhor aos açorianos que o Governo da República não baixa impostos”, acrescentou.

O primeiro-ministro reiterou hoje que o Governo da República está disponível para aumentar o diferencial fiscal nos Açores, acrescentando, contudo, que isso não significa necessariamente baixar impostos, mas apenas dar mais liberdade aos órgãos de poder açorianos.

"Em certas condições, que nos garantam equilíbrio orçamental e redução contínua da dívida, nós estamos abertos a poder fixar um diferencial fiscal maior, como aquele que existia antes. Mas isso não significa necessariamente que se baixem os impostos. Essa é uma decisão que só pode ser tomada pelos órgãos próprios da região, como é evidente", afirmou o primeiro-ministro.

“Ficam os açorianos esclarecidos, ficam a saber que o PSD/Açores, por intermédio de Duarte Freitas, tentou fazer um aproveitamento ilegítimo de algo que nunca aconteceria”, disse André Bradford, acrescentando que “cai por terra a ideia de que os açorianos teriam imenso a agradecer ao esforço do dr. Duarte Freitas junto dos seus companheiros do continente”, referiu.

Quanto ao primeiro-ministro, André Bradford considera que “disse as coisas da maneira que, politicamente, lhe pareceram mais indicadas”, mas depois “ter-se-á apercebido de que dizendo as coisas daquela maneira, estava a criar para os Açores uma situação de exceção em relação àquilo que diz para o todo do país”.

“E esclareceu desmentindo o líder do PSD/Açores. E por força desse desentendimento interno entre ‘PSD’s’ os açorianos ficaram a perceber que a forma legal de fazer as coisas não passava por uma vontade política nem do dr. Duarte Freitas nem do primeiro-ministro”, mas antes por uma “decisão política das instâncias eleitas pelos açorianos”, acrescentou.

André Bradford desafiou assim Duarte Freitas a apoiar a iniciativa já anunciada pelos socialistas no âmbito do debate do Orçamento do Estado, a qual “garante as condições necessárias” para haver de facto uma baixa de impostos nos Açores.

Na proposta em causa, os socialistas pedem um aumento do diferencial fiscal nos Açores, para permitir a baixa dos impostos, mas também a reposição das transferências do Estado, o que compensaria a quebra das receitas fiscais.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.