Presidentes das Regiões Ultraperiféricas debatem nos Açores financiamentos europeus em 2014-2020

Presidentes das Regiões Ultraperiféricas debatem nos Açores financiamentos europeus em 2014-2020

 

Lusa/AO Online   Regional   13 de Set de 2012, 06:26

Os presidentes das regiões ultraperiféricas da União Europeia reúnem-se a partir de hoje na Horta, Faial, nos Açores, numa cimeira em que vai estar em debate o quadro financeiro europeu para o período 2014-2020.

A agenda da XVIII Conferência dos Presidentes das Regiões Ultraperiféricas, um organismo de cooperação atualmente presidido por Carlos César, presidente do Governo dos Açores, inclui também uma análise da recente comunicação da Comissão Europeia sobre as regiões ultraperiféricas.

Nesta reunião participa também o comissário europeu para a Política Regional, Johannes Hahn, assim como José Maria Neves, primeiro-ministro de Cabo Verde, um Estado que tem uma parceria especial com a União Europeia e com relações privilegiadas de cooperação com as três regiões ultraperiféricas da Macaronésia (Açores, Madeira e Canárias).

A conferência contará ainda com a presença de Said Ahamadi, vice-presidente de Maiote, uma região francesa do oceano Índico cujo estatuto de região ultraperiférica já foi solicitado à União Europeia, e de um representante de Aruba, um território ultramarino holandês que, por força do Tratado de Lisboa, poderá aceder à categoria de região ultraperiférica.

O programa inclui ainda uma sessão de parceria, na sexta-feira, em que participam, entre outros convidados, o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Paulo Portas.

As regiões ultraperiféricas da União Europeia, territórios geograficamente distantes do continente europeu mas parte integrante dos Estados membros a que pertencem, são Madeira e Açores (Portugal), Canárias (Espanha) e Martinica, Guadalupe, Guiana, Reunião, Saint-Barthélemy e Saint-Martin (França).

Estas regiões beneficiam de um estatuto específico, devido às suas características estruturais, como o grande afastamento, a insularidade, a pequena superfície e o relevo ou clima difíceis.

A agenda da XVIII Conferência dos Presidentes das Regiões Ultraperiféricas, um organismo de cooperação atualmente presidido por Carlos César, presidente do Governo dos Açores, inclui também uma análise da recente comunicação da Comissão Europeia sobre as regiões ultraperiféricas.

Nesta reunião participa também o comissário europeu para a Política Regional, Johannes Hahn, assim como José Maria Neves, primeiro-ministro de Cabo Verde, um Estado que tem uma parceria especial com a União Europeia e com relações privilegiadas de cooperação com as três regiões ultraperiféricas da Macaronésia (Açores, Madeira e Canárias).

A conferência contará ainda com a presença de Said Ahamadi, vice-presidente de Maiote, uma região francesa do oceano Índico cujo estatuto de região ultraperiférica já foi solicitado à União Europeia, e de um representante de Aruba, um território ultramarino holandês que, por força do Tratado de Lisboa, poderá aceder à categoria de região ultraperiférica.

O programa inclui ainda uma sessão de parceria, na sexta-feira, em que participam, entre outros convidados, o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Paulo Portas.

As regiões ultraperiféricas da União Europeia, territórios geograficamente distantes do continente europeu mas parte integrante dos Estados membros a que pertencem, são Madeira e Açores (Portugal), Canárias (Espanha) e Martinica, Guadalupe, Guiana, Reunião, Saint-Barthélemy e Saint-Martin (França).

Estas regiões beneficiam de um estatuto específico, devido às suas características estruturais, como o grande afastamento, a insularidade, a pequena superfície e o relevo ou clima difíceis.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.