Poupança das famílias portuguesas aumenta em setembro

Poupança das famílias portuguesas aumenta em setembro

 

Lusa/AO online   Economia   10 de Out de 2012, 11:55

A poupança das famílias aumentou para 116% do PIB em setembro, com o aumento das expectativas de desemprego a explicar a subida da taxa por motivos de precaução, revela o indicador de poupança da APFIPP/Universidade Católica.

De acordo com a Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios (APFIPP)/Universidade Católica, o indicador da poupança subiu de 114,9% em agosto para 116% do Produto Interno Bruto (PIB) no mês passado.

Segundo a mesma fonte, depois de uma queda em agosto (de 121,5% em julho para 114,9% em agosto), as expectativas de desemprego voltaram a subir em setembro.

"O aumento das expectativas de desemprego pode conduzir a um aumento das taxas de poupança por motivos de precaução", justifica o documento.

Em setembro, o indicador inclui as atualizações das contas nacionais setoriais, que incluem a primeira estimativa da poupança das famílias.

O indicador "sugere que a poupança em percentagem do PIB se encontra significativamente acima da sua média de longo prazo", sendo a média do indicador desde dezembro de 2000 de 96,3%.

O indicador de poupança, criado em 2000, procura antecipar a evolução da taxa de poupança das famílias portuguesas expressa em percentagem do PIB, corrigida da sazonalidade, e resulta da análise ao comportamento de um conjunto alargado de fontes estatísticas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.