Pouca poluição luminosa faz dos Açores local ideal para observar estrelas

Pouca poluição luminosa faz dos Açores local ideal para observar estrelas

 

Lusa/AO Online   Regional   19 de Jul de 2016, 14:27

A reduzida poluição luminosa faz dos Açores um local ideal para observar estrelas, um novo produto turístico que atraiu o ano passado quase 12.000 visitantes ao Observatório Astronómico de Santana, na ilha de São Miguel, foi hoje revelado.

 

“Não há muita poluição luminosa, o que tem permitido ao Observatório, apesar de localizado perto da Ribeira Grande e de Rabo de Peixe, ter ainda um céu onde é possível ver a Via Láctea”, afirmou em declarações à agência Lusa Pedro Garcia, um dos quatro técnicos de divulgação científica que trabalham no único observatório astronómico existente no arquipélago.

Pedro Garcia adiantou que, além dos visitantes açorianos, o Observatório tem recebido “muitos turistas interessados em fazer observações”, destacando que, através dos telescópios existentes, “é possível ver muita coisa no céu” e que as nuvens nos Açores “não são um problema” para a astronomia amadora que se pratica em Santana.

A celebrar 15 anos em 2016, o Observatório passou por um período difícil, tendo estado encerrado vários anos, mas desde 2008 funciona de forma permanente como centro de ciência.

Segundo Pedro Garcia, o Observatório Astronómico de Santana é um local “muito procurado”, tendo recebido em 2015 quase 12.000 visitantes, o que representou menos duas mil pessoas face a igual período em 2014.

Além do funcionamento diário, o Observatório realiza desde 2010 nas primeiras sextas-feiras de cada mês observações noturnas das estrelas, com o bilhete a custar um euro.

Também há três anos que se iniciaram as observações noturnas destinadas às famílias, limitadas a 25 pessoas, que requerem pré-inscrição, declarou, explicando que os adultos pagam cinco euros e as crianças abaixo dos 12 anos três euros.

“Há uma visita-guiada, com a explicação de todos os objetos e a possibilidade das pessoas terem um momento de conversa com os técnicos”, afirmou, acrescentando que tem acontecido nestas noites terem dez pessoas dos Açores e dez estrangeiras, o que obriga a fazer uma sessão em Português e outra em Inglês.

Este ano, a noite com as estrelas dedicada a toda a família decorre na quarta-feira, entre as 21:00 e as 23:00 (mais uma hora em Lisboa), tendo os observadores amadores à espera um telescópio fixo e vários móveis espalhados pelo terraço do edifício.

Por concretizar está o sonho de instalar em Santana um planetário fixo, um projeto que Pedro Garcia disse que o Governo Regional teve, mas pôs entretanto de parte.

“A mais-valia seria a nível da mobilidade, para pessoas com mobilidade reduzida, e também um planetário fixo, ao contrário do móvel que temos para levar às escolas, permitiria, por exemplo, receber mais pessoas”, explicou Pedro Garcia.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.