Porto de Pescas de Rabo de Peixe recebe investimento de 16 ME

Porto de Pescas de Rabo de Peixe recebe investimento de 16 ME

 

Lusa / AO online   Regional   19 de Ago de 2012, 15:48

O Porto de Pescas de Rabo de Peixe, uma das mais importantes comunidades piscatórias de S. Miguel, nos Açores, vai sofrer obras de ampliação orçadas em 16 milhões de euros, que vão transformar substancialmente as condições desta infraestrutura portuária.

 

“Esta empreitada transformará por completo este espaço portuário, criando condições para que assuma um papel efetivo como polo de desenvolvimento e de qualificação desta importante comunidade piscatória, de grande tradição histórica e enorme relevância na economia açoriana”, afirmou hoje Carlos César, presidente do executivo regional, no lançamento da primeira pedra.

A obra, com um prazo de conclusão de 730 dias, prevê a construção de dois novos molhes, um com 285 metros e outro com 45 metros, o que permitirá criar uma área molhada de abrigo com 3,6 hectares, dispondo de uma centena de postos em flutuação, e um novo terrapleno com 19 mil metros quadrados.

Um pontão-flutuante com cerca de 100 metros, três pontes-cais de 90 metros cada uma e um cais aderente à doca de pórtico com 30 metros vão disponibilizar mais de 660 metros de espaço de atracação direta, além de uma nova rampa de varagem.

Na parte terrestre será construída uma nova estrada de acesso ao porto e criada uma zona de reparação e manutenção das embarcações, além de casas de aprestos e de um entreposto de frio com capacidade de transformação de pescado.

“Sabemos que a viabilização e o acréscimo de rendimento deste setor passa pela valorização das capturas de algumas espécies por via do mercado da congelação e da transformação, que pode ser feita através do corte, filetagem e embalagem em terra pela própria comunidade piscatória”, salientou Carlos César.

Na intervenção que proferiu na cerimónia de lançamento da primeira pedra desta obra, o presidente do Governo dos Açores recordou que, na última década e meia, foram construídos e requalificados cerca de meia centena de portos e núcleos de pesca em todo o arquipélago.

O balanço inclui ainda a construção de seis novas lotas e a reconstrução de cinco, a construção de cerca de 600 casas de aprestos e nove oficinas de apoio à construção e reparação naval e a instalação de 36 gruas e sete pórticos de varagem.

Ao nível da rede de frio, Carlos César recordou que os executivos regionais socialistas construíram e requalificaram 66 câmaras de congelação, com uma capacidade de armazenamento de 5.200 toneladas de peixe congelado e 186 toneladas de peixe refrigerado, salientando ainda o lançamento do concurso para a instalação de três entrepostos frigoríficos em S. Miguel, que vão reforçar a capacidade de armazenamento de pescado congelado em 1.500 toneladas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.