PJ descarta crime no caso de jovem desaparecido

Regional /
João Tiago Medeiros

8924 visualizações   

A Polícia Judiciária (PJ) descartou a possibilidade de ter existido crime no caso do desaparecimento de João Tiago Medeiros, o açoriano que foi visto pela última vez em Lisboa na noite de 7 de fevereiro.
 
A informação foi confirmada pelo pai do jovem, PedroMedeiros:“Não há grandes avanços no caso do João Tiago, a não ser o facto da Brigada de Investigação e Averiguação de Desaparecidos (BIAD) da PJ ter descartado a hipótese de homicídio”.

 

 João Tiago Medeiros, de 24 anos, encontra-se desaparecido há já duas semanas. Ainda assim, Pedro Medeiros não perde a esperança, até pelo trabalho desenvolvido pelas autoridades responsáveis pela investigação.

 

“APJ está a fazer todos os esforços, a verificar todas as hipóteses possíveis e imagináveis. Nesse aspeto, penso que estão a tratar o caso com muito cuidado”, afirmou. Com a vida em suspenso - “estamos a viver segundo a segundo, à espera de uma notícia” - o pai de João Tiago Medeiros quer deixar as autoridades trabalhar: “neste momento, enquanto a PJ não nos disser que não há nada mais a fazer, vamos aguardar. Não queremos interferir nas investigações”. 

 

Enquanto decorrem os trabalhos no terreno, as redes sociais não deixam que o desaparecimento do jovem açoriano caia no esquecimento, com várias páginas a alertarem para que qualquer pista sobre o paradeiro de João Tiago seja comunicada à Polícia Judiciária.

 

Saiu do bar e desapareceu

 

João Tiago Medeiros é natural de Ponta Delgada, mas estava a viver no Funchal, ilha da Madeira, onde tirou a licenciatura de Educação Física. Àaltura do seu desaparecimento, o jovem estava em Lisboa a passar férias com um grupo de amigos.

 

Segundo relatos de colegas, João Tiago saiu sozinho do bar Urban Beach na madrugada de 7 de fevereiro, tendo sido captado pelas câmaras de vigilância do estabelecimento noturno. O jovem vestia uma sweatshirt com capuz azul acinzentado da marca “Element”, calças de ganga azuis claras, ténis azuis escuros e tinha um relógio Timberland no pulso.

 

Uma semana depois do seu desaparecimento, sete mergulhadores da Polícia Marítima efetuaram buscas no rio Tejo, que se revelaram infrutíferas.