PCTP/MRPP pede divulgação de estudos sobre cancro na Praia da Vitória

PCTP/MRPP pede divulgação de estudos sobre cancro na Praia da Vitória

 

Lusa/AO online   Regional   15 de Mar de 2018, 16:14

O Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) reivindicou esta quinta-feira a divulgação, e realização, de estudos sobre uma possível incidência superior de cancro no concelho Praia da Vitória, onde está instalada a base das Lajes.

“O PCTP/MRPP exige do Governo central e do Governo Regional que divulguem imediatamente os relatórios americanos e portugueses já elaborados sobre a poluição dos solos e aquíferos das Lajes e da Praia da Vitória e aprofundem os estudos sobre as doenças oncológicas dos residentes na área”, adiantou o partido, num comunicado de imprensa, enviado à Lusa.

O comité do PCTP/MRPP na ilha Terceira defende ainda que as pessoas com cancro que vivem junto à base das Lajes devem “exigir as devidas indemnizações” ao governo norte-americano e aos governos da República e da região.

Esta semana, o ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, disse que não há atualmente elementos que indiquem um “diferencial estatístico muito preocupante relativamente à incidência de problemas de saúde concretos” no concelho da Praia da Vitória.

Também o Centro de Oncologia dos Açores (COA) rejeitou que exista uma maior incidência de casos de cancro no concelho.

"É absolutamente falso dizer que o concelho da Praia da Vitória tem mais cancros, seja por que causa for, em relação aos demais concelhos dos Açores", adiantou o presidente do COA, Raul Rego.

O PCTP/MRPP acusa, no entanto, o Governo da República de proteger “escandalosamente” os Estados Unidos da América da responsabilidade pelas contaminações de solos e aquíferos profundos na ilha Terceira, alegando que há relatórios que confirmam “fuga de combustíveis, derrame de lamas tóxicas e enterramento de amianto e outros produtos perigosos no solo”, por parte Força Aérea norte-americana.

“O Governo Regional de Vasco Cordeiro tem alinhado com o Governo da República na proteção dos americanos. Não é de admirar: o Governo central e o Governo Regional, em relação ao imperialismo ianque, nunca passaram de governos lacaios e cordeiros”, criticou.

O partido considera, por isso, que o Governo português deve exigir aos Estados Unidos a publicação de estudos sobre a contaminação na ilha Terceira e a rápida descontaminação.

“Exigimos ainda que o governo imperialista americano proceda, às suas custas, à imediata descontaminação dos solos e dos aquíferos profundos da Base das Lajes e respetivas áreas envolventes. Tudo sem demora e com o pagamento das devidas indemnizações”, acrescenta o comunicado de imprensa.

A contaminação de solos e aquíferos na ilha Terceira, provocada pela Força Aérea norte-americana na base das Lajes, foi identificada em 2005 pelos próprios norte-americanos e confirmada, em 2009, pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), que identificou 41 locais contaminados.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.