PCP/Açores alerta para dificuldades de distribuição de produtos da ilha das Flores

PCP/Açores alerta para dificuldades de distribuição de produtos da ilha das Flores

 

LUSA/AO Online   Regional   3 de Ago de 2014, 14:29

O líder do PCP nos Açores alertou para os constrangimentos à distribuição de produtos "de elevada qualidade" da ilha das Flores por causa da rede de transportes no arquipélago, que impede a criação de um mercado regional.

Aníbal Pires inicia na segunda-feira uma visita de dois dias às Flores, que termina a deslocação anual (de setembro a agosto) do também deputado do PCP no parlamento dos Açores às nove ilhas açorianas. Nas Flores, o dirigente comunista vai reunir-se com autarcas e "representantes do setor produtivo e transformador", ao nível da agropecuária. "A ilha das Flores tem produtos de elevada qualidade, mas há alguns problemas com a distribuição. Estes problemas têm a ver com a organização, mas também com os transportes", sublinhou. O dirigente comunista insistiu nesta questão do "circuito da distribuição", por estar relacionada com "o tal mercado interno de que alguns se lembraram de falar agora", mas que para o PCP "tem sido o grande problema que já deveria estar resolvido há muito tempo". "O aumento da produção regional, alguma diversificação agrícola, só é possível se o mercado interno estiver a funcionar, o que depende dos circuitos de distribuição, que estão fortemente dependentes do transporte", sublinhou. Aníbal Pires deu como exemplo o caso dos iogurtes das Flores, considerados de grande qualidade, “diferenciados”, mas há “alguma dificuldade” em os comprar fora ilha. A par destas questões, Aníbal Pires pretende analisar com a associação de agricultores e a cooperativa agrícola das Flores os problemas que "subsistem e outros que se adivinham" e que afetam a generalidade do setor em todo o arquipélago. É o caso dos problemas financeiros e de gestão que enfrentam muitas cooperativas e o fim das quotas leiteiras na União Europeia, em 2015. Aníbal Pires lembrou que o PCP não aceita o fim das quotas para os Açores. "Julgamos ser possível, ao abrigo do estatuto da ultraperiferia, encontrar soluções de exceção para a produção de leite nos Açores e garantir, assim, a produção de leite em função da capacidade instalada na Região Autónoma dos Açores. Continuaremos certamente a lutar para que o fim das quotas não seja uma inevitabilidade na região", afirmou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.