Legislativas

Passos mostra crucifixo oferecido na campanha do qual não se consegue separar

 Passos mostra crucifixo oferecido na campanha do qual não se consegue separar

 

Lusa/AO online   Nacional   30 de Set de 2015, 15:07

O presidente do PSD mostrou um crucifixo que guarda no bolso e que lhe foi oferecido por um responsável de uma instituição social há dias durante a campanha e do qual, disse, depois não se conseguiu separar.

 

Pedro Passos Coelho visitava a Santa Casa da Misericórdia de Resende onde momentos antes tinha sido enquadrado pelas objetivas dos repórteres de imagem junto a uma figura de Nossa Senhora de Fátima.

Um jornalista mostrava-lhe uma foto desse momento perguntando se refletia fé nos resultados eleitorais e Passos respondeu que a imagem demonstrava apenas o sentido de oportunidade do fotógrafo. Foi então que levou a mão ao bolso e mostrou um crucifixo preso num fio fino.

"Fiquei muito sensibilizado quando aqui há dias visitando uma instituição parecida com esta, o diretor me ofereceu o seu objeto pessoal, com tanto amor e tanto carinho, que não me consigo separar dele", contou.

Passos prosseguiu dizendo ter "fé nas pessoas, mais do que tudo".

"Tenho muita fé nas pessoas. Acho que todos temos sempre a oportunidade de fazer as escolhas certas, às vezes fazemos as escolhas erradas, e quando elas ainda podem ser corrigidas, e há muitas coisas na nossa vida que podem ser corrigidas, devemos fazê-lo. Quando isso depende de nós, há muitas coisas que já estão um bocadinho para além das nossas escolhas", disse.

Ainda sobre o pequeno crucifixo, acrescentou que "foi sobretudo um gesto de muita fé de alguém que acredita muito" e que lho quis transmitir. Foi em Parceiros, Leiria, que o crucifixo lhe foi oferecido, recordou minutos mais tarde à Lusa, depois de consultar a agenda.

A visita à Santa Casa da Misericórdia de Resende foi demorada, já que a instituição tem diversas valências, que abrangem a terceira idade, deficiência e infância, entre outras, como uma unidade fisioterapia.

Houve muitos dos cerca de 150 funcionários que se alinhavam para cumprimentar Passos Coelho, que se deteve também a conversar com utentes, juntamente com Luís Pedro Mota Soares, o ministro da Solidariedade, que é o primeiro candidato do CDS pelo Porto na lista encabeçada por Aguiar Branco. António Leitão Amaro, o cabeça de lista por Viseu, e Hélder Amaral, o primeiro nome do CDS neste distrito também visitaram a instituição.

"Temos de trazer a Laurinha", comentava uma funcionária quase no final da visita. Laura, 100 anos feitos a 10 de setembro já tinha sido apresentada a Passos Coelho numa visita à residência oficial do primeiro-ministro, um encontro com registo fotográfico emoldurado, que foi mostrado ao líder social-democrata.

A centenária utente conversou com Passos e cantou-lhe ao ouvido. Passos incentivou-a a criar um coro no lar.

À saída, quando já se dirigia para o carro, mudou de rumo quando ouviu um grupo de crianças que gritava "Passos Coelho, Passos Coelho, Passos Coelho", de dentro de um parque infantil.

O presidente do PSD reiterou o que ele próprio e Paulo Portas têm dito sobre as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS): "As necessidades nunca estão totalmente satisfeitas, por isso é que temos de manter e intensificar esta parceira entre o Estado e as IPSS, onde muitas vezes se destacam as Misericórdias, porque são normalmente centenárias, têm uma implantação muito grande e antiga".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.