Opção vegetariana em todas as escolas dos Açores no próximo ano letivo

Opção vegetariana em todas as escolas dos Açores no próximo ano letivo

 

LUSA/AO online   Regional   26 de Jun de 2017, 13:51

O secretário da Educação e Cultura dos Açores afirmou hoje que todas as escolas do arquipélago vão ter no próximo ano letivo a opção vegetariana com marcação prévia, dado ser expectável uma reduzida procura e para evitar desperdício alimentar

"O desperdício alimentar nas cantinas escolares - e creio que nas cantinas públicas de uma forma geral - é um assunto que tem sido pouco tratado, mas é um problema quotidiano com que nós nos deparamos”, disse à agência Lusa Avelino Meneses, justificando a marcação prévia porque, dada a experiência atual, há a “expectativa de que a procura poderá não ser elevada”.

Avelino Meneses falava à agência Lusa após ser ouvido na Comissão de Assuntos Sociais do parlamento dos Açores, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, sobre uma petição pela inclusão de uma alternativa vegetariana nas cantinas das escolas.

“Já oferecemos desde 2015/2016 um prato ovolactevegetariano que tem uma procura baixa e também porque nos refeitórios escolares os agentes do ensino sabem perfeitamente que há alguma resistência dos alunos em matéria de consumo, por exemplo, de vegetais”, adiantou o governante.

Segundo o secretário regional, “para que o desperdício não seja efetivamente grande”, o executivo açoriano partirá para “um regime de marcação prévia que garantirá a todos que o queiram ter regularmente um prato vegetariano”.

O texto da petição, que entrou em março na Assembleia Legislativa Regional, começa por dizer que “os motivos que podem levar à opção vegetariana podem ser éticos (relacionado com a proteção, bem-estar e direito dos animais), ecológicos ou de saúde”, sendo que “nos últimos anos acumulou-se evidência científica a favor do aumento” na alimentação “de produtos de origem vegetal”.

“Por outro lado, sabemos hoje que uma alimentação exclusivamente vegetariana, quando bem planeada, pode preencher todas as necessidades nutricionais de um ser humano e pode ser adaptada a todas as fases do ciclo de vida”, adianta o documento, considerando que “o facto de uma escola não ter esta opção limita, discrimina e exclui uma criança com uma alimentação distinta”.

Nesse sentido, os peticionários consideram “imperativo incluir nas cantinas/refeitórios das escolas uma alternativa vegetariana”.

No mês seguinte, o BE anunciou que iria propor no parlamento dos Açores a inclusão de refeições vegetarianas nas cantinas escolares e outros refeitórios públicos, adaptando à região uma legislação já aplicada no continente português.

"A diversidade nas opções de dieta alimentar é uma realidade e as cantinas públicas e entidades financiadas maioritariamente por fundos públicos devem dar resposta, para que ninguém seja discriminado pela sua dieta alimentar", salientou então o co-líder do BE nos Açores Paulo Mendes, numa conferência de imprensa.

Segundo o dirigente do BE, esta proposta dá resposta a uma petição com cerca de 800 assinaturas, que defende a inclusão de refeições vegetarianas nas cantinas das escolas dos Açores.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.