Natureza dos Açores tem de ser preservada e deve ser rentabilizada

Natureza dos Açores tem de ser preservada e deve ser rentabilizada

 

Lusa/AO Online   Regional   21 de Abr de 2015, 14:17

O presidente do Governo dos Açores disse hoje que a natureza das ilhas e a sua biodiversidade são uma das suas principais riquezas, sublinhando a importância da sua preservação e rentabilização.

“A biodiversidade e a geodiversidade são elementos essenciais da nossa identidade como arquipélago. São uma herança de séculos que nós estamos empenhados em cuidar, em curar dela, em rentabilizá-la, não apenas para, de forma sustentável, podermos beneficiar dela, mas também para podermos passá-la às gerações seguintes”, disse Vasco Cordeiro.

O presidente do executivo açoriano falava nas Velas, ilha de São Jorge, na abertura do primeiro encontro regional de vigilantes da natureza.

“A região encara o vosso trabalho e a importância desse trabalho para o desenvolvimento da nossa região e para que efetivamente os Açores continuem a defender, a preservar e a rentabilizar - porque não? - uma das suas principais riquezas”, disse Vasco Cordeiro, dirigindo-se aos 33 vigilantes da natureza da região.

O governante lembrou também que as novas regras dos voos para os Açores e a entrada das ‘low cost’ na região, no início deste mês, gerará, previsivelmente, um “elevadíssimo número de turistas” e poderá criar “tensão” a nível ambiental.

Os vigilantes da natureza serão, “em muitas situações”, o “rosto da região”, afirmou Vasco Cordeiro, dizendo que é importante haver consciência da importância desse papel para que “tudo isto resulte bem”.

“Estou convicto de que toda esta aposta resultará bem e que é possível, desde logo, também por vosso intermédio, com pedagogia, com bom senso, com sensibilidade, acomodar estes dois valores de termos na natureza, na nossa riqueza ambiental, na riqueza da nossa biodiversidade, um fator gerador da criação de riqueza e de emprego na nossa região, mantendo sempre a defesa desses valores”, afirmou.

Vasco Cordeiro anunciou que o corpo de vigilantes da natureza dos Açores aumentará para 35 e entregou–lhes a primeira de 14 viaturas elétricas com que, até 2017, passarão a contar para trabalhar no terreno.

Em 2015, serão entregues quatro viaturas destas, para as ilhas de São Jorge, Santa Maria, Flores e São Miguel. Em 2016 serão entregues mais cinco e em 2017 outras cinco, “completando as necessidades dos parques naturais de maior dimensão”, revelou.

Os Açores têm nove Parques Naturais de Ilha (um por cada ilha), a que se junta o Parque Marinho dos Açores, que integram 122 paisagens protegidas e ocupam uma área de 140.287 hectares.

Vasco Cordeiro referiu que a região tem criado instrumentos legais, programas de apoio e incentivo e um conjunto de estruturas com vista à conservação e proteção da natureza, possuindo hoje uma “rede coerente e integrada de conservação”.

A “beleza e preservação ambiental” dos Açores têm sido também reconhecidas a nível nacional e internacional, acrescentou, referindo as várias classificações da Unesco (a agência das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) e outras distinções e classificações.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.