Marinha recomenda proteção de bens e afastamento da orla costeira nos Açores


 

Lusa/AO Online   Regional   1 de Set de 2016, 19:02

O chefe do departamento marítimo dos Açores recomendou hoje à comunidade marítima que proteja os seus bens e à população em geral que se afaste da orla costeira, devido à chegada da tempestade tropical Gaston na sexta-feira.

Em comunicado, Martins da Cruz recomendou o “reforço da amarração das embarcações que se encontrem atracadas e de preferência a sua retirada para terra”, no caso dos barcos mais pequenos, “a fim de se evitarem danos decorrentes da forte ondulação conjugada com o vento forte previsto”.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) informou hoje que o furacão ‘Gaston’ deverá "atingir o arquipélago dos Açores como tempestade tropical a partir do meio-dia" de sexta-feira, afetando as ilhas dos grupos ocidental e central.

As previsões apontam para os grupos ocidental e central vento “muito forte” com rajadas até 110 quilómetros por hora, precipitação intensa e ondas até oito metros nas Flores e Corvo e até seis metros nas ilhas Terceira, Faial, Pico, São Jorge e Graciosa.

Cruz Martins, que também é capitão do porto de Ponta Delgada e Vila do Porto, apelou, ainda, à população em geral que se mantenha afastada da orla costeira, de forma “a não ser surpreendida pelo vento e sobretudo pelo mar que vai estar alteroso, podendo galgar zonas onde normalmente não chega”.

Apesar dos meios da Autoridade Marítima e da Marinha se encontrarem em prontidão para acorrer a qualquer situação de emergência, Cruz Martins considerou “fundamental, por parte de toda a comunidade, o cumprimento das regras elementares de segurança e bom senso, evitando atitudes de risco”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.