Madeira e Açores defendem criação de incentivos para fixar médicos nos arquipélagos

Madeira e Açores defendem criação de incentivos para fixar médicos nos arquipélagos

 

Lusa/AO online   Regional   11 de Nov de 2016, 15:50

Os secretários regionais da Saúde dos Açores e da Madeira, Rui Luís e João Faria Nunes, alertaram, no Funchal, para a necessidade da criação de mecanismos para a fixação de médicos nos arquipélagos e, simultaneamente, expandir a formação.

"É fundamental repensar os incentivos para a fixação de especialistas nos nossos arquipélagos, situação que é mais premente nos Açores, dada a nossa dispersão por nove ilhas", afirmou Rui Luís.

O governante falava na abertura das I Jornadas do Médico Interno da Madeira e dos Açores e das VIII Jornadas do Médico Interno da Região Autónoma da Madeira, eventos que decorrem no Funchal até sábado.

Rui Luís salientou, por outro lado, que a formação nas especialidades também coloca "novos desafios" ao nível das regiões autónomas, sendo necessário criar condições para garantir a sua expansão.

"A aposta na valorização pessoal e profissional é um investimento e não deve ser encarado como um custo", sublinhou.

O secretário regional da Saúde da Madeira, João Faria Nunes, também alertou para a falta de médicos e para a importância de "captar e fixar" novos profissionais na região, considerando que este é um "imperativo" e uma "necessidade".

"À semelhança do que sucede na grande maioria dos países europeus, também a região está confrontada com a falta de médicos", disse João Faria Nunes, vincando que "a situação agrava-se pelo facto de sermos uma ilha".

O governante lembrou, no entanto, que a Madeira tem atualmente cerca de duas centenas de médicos internos em formação.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.