Rússia

Kasparov arrisca cinco anos de prisão por alegadamente ter mordido um polícia


 

Lusa/AO online   Internacional   20 de Ago de 2012, 09:35

O opositor russo e antigo campeão do mundo de xadrez Garry Kasparov anunciou ter sido convocado esta segunda-feira pela polícia que o acusa de ter mordido um agente na sexta-feira em Moscovo, crime punível com até cinco anos de prisão.

“Devem interrogar-me sobre a presumível agressão de um polícia. Depois o Comité de Inquérito russo deverá decidir se abre um inquérito criminal contra mim”, declarou Kasparov num comunicado divulgado no seu “site” Kasparov.ru.

Kasparov foi interpelado na sexta-feira em Moscovo durante uma manifestação de apoio às Pussy Riot perto do tribunal que condenou no mesmo dia três jovens deste grupo a dois anos de prisão por terem cantado um “oração punk” contra o Presidente russo, Vladimir Putin, numa catedral.

O antigo campeão do mundo de xadrez foi convocado para estar às 08:00 TMG (09:00 em Lisboa) numa esquadra do centro de Moscovo, para onde foi conduzido quando foi interpelado na sexta-feira, tendo sido libertado algumas horas depois.

De acordo com a legislação russa, a punição pela agressão de um polícia pode ir de uma multa de 200.000 rublos (cerca de 5.000 euros) a cinco anos num campo de prisioneiros.

“Pode ver-se em numerosos vídeos que circulam na Internet que os polícias me interpelaram na altura em que falava a jornalistas e que me bateram a seguir”, indica Kasparov, adiantando que vai apresentar queixa por interpelação ilegal e abuso de poder pela polícia.

“Numerosos registos vídeo e fotografias desmentem as acusações que me são feitas pela polícia, de acordo com as quais agredi um polícia e lhe mordi a mão”, escreveu o opositor.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.