Inverno rigoroso leva a fecho temporário de 13 trilhos pedestres nos Açores

Inverno rigoroso leva a fecho temporário de 13 trilhos pedestres nos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   28 de Jan de 2016, 09:40

O inverno muito rigoroso que se faz sentir nos Açores, desde dezembro, provocou danos na rede regional de trilhos pedestres, determinando o encerramento temporário de 13 percursos em São Miguel, Flores e São Jorge, revelou o executivo açoriano.

 

“São Miguel é a ilha que tem mais danos, com nove trilhos encerrados devido a uma série de derrocadas ou quedas de árvores que se verificaram. Em menor escala está as Flores e São Jorge, cada uma destas ilhas com dois trilhos encerrados”, disse o diretor regional do Turismo, João Bettencourt, em declarações à Lusa, acrescentando que nalguns casos “é preciso aguardar alguma estabilização dos solos" para avançar de "forma segura com as intervenções".

João Bettencourt disse, no entanto, que noutros percursos “já estão a ser realizadas pequenas limpezas”.

A Rede Regional conta atualmente com cerca de 80 trilhos homologados, estendendo-se por mais de 715 quilómetros de caminhos nas nove ilhas.

O diretor regional do Turismo adiantou ainda que, “muito recentemente, foram criadas rotas", com o objetivo de fazer uma interligação entre trilhos já existentes.

Para o “estatuto” de grande rota é necessário que o trilho tenha uma extensão superior a 30 quilómetros, tendo o diretor do Turismo acrescentado que "já estão homologadas a grande rota do Faial, de Santa Maria, de S.Jorge e Graciosa" e "está para aprovação a grande rota das Flores".

"As grandes rotas são uma oferta turística enriquecedora para as nossas ilhas e são também um veículo promocional excecional, porque permite a realização de provas de ‘trail running’", salientou João Bettencourt, frisando que os percursos pedestres assumem cada vez mais um papel "determinante" na divulgação turística da região, já que permitem um contacto direto com o património natural e a biodiversidade das ilhas.

Segundo disse, o pedestrianismo "tem tido uma ascensão e isto deve-se à qualidade do nosso património natural e muito recentemente às provas de ‘trail running’ que se tem realizado" em algumas ilhas.

A manutenção da rede regional de trilhos está divida entre dois departamentos governamentais. Por um lado, a direção regional do Ambiente, no que diz respeito à manutenção de todos os trilhos em áreas protegidas e ainda a direção regional do Turismo para os percursos que não passam em áreas protegidas.

Segundo o diretor regional do Turismo, "50% ou mais dos turistas que visitam os Açores têm contacto com os trilhos açorianos", pelo que se trata de um cartaz turístico de "altíssima qualidade".

Para a associação ecológica Amigos dos Açores há que recuperar "o mais rápido possível" estes trilhos afetados pelo mau tempo, porque a atividade de pedestrianismo, praticada durante o ano todo, permite dinamizar economia local de espaços rurais, através da restauração e comércio.

“Temos tido conhecimento, através de relatos e fotos, que alguns trilhos têm sido afetados pelo mau tempo. É uma problemática que acontece todos aos anos, durante o inverno, mas este ano, devido as condições mais severas do tempo, têm-se feito sentir mais em alguns trilhos, alguns dos quais estão encerrados, mas outros também vão sofrendo algumas derrocadas e, nalguns casos, a recuperação pode ser mais demorada”, disse à Lusa o presidente da associação Diogo Caetano.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.