Ilha das Flores terá trilho pedestre de 40 quilómetros em 2016

Ilha das Flores terá trilho pedestre de 40 quilómetros em 2016

 

Lusa/AO Online   Regional   22 de Jul de 2015, 17:15

O Governo Regional dos Açores apresentou o projeto da "grande rota" da ilha das Flores, um trilho pedestre de 40 quilómetros que pretende aumentar um tipo de oferta turística cada vez mais procurada a nível internacional.

 

A grande rota das Flores, que ao longo de 40 quilómetros percorre parte da costa da ilha, corresponde a uma “tendência de mercado” atual e que se traduz na procura, por turistas, de trilhos com graus de dificuldade cada vez maiores, segundo explicou Rodrigo Borba, da equipa coordenadora da rede regional de trilhos pedestres.

Na grande rota das Flores será também desenvolvido um projeto-piloto de instalação de casas de abrigo ao longo de trilho, para apoio a quem fizer o percurso, que poderá ser concluído em vários dias. Esta será a primeira grande rota dos Açores (trilhos com pelo menos 30 quilómetros) com casas de abrigo.

A grande rota das Flores vai juntar-se às já existentes grandes rotas do Faial (de costa a costa da ilha) e de Santa Maria, um trilho circular em volta de toda a ilha e que tem um total de 80 quilómetros.

É na grande rota do Faial que se faz a prova desportiva Azores Trail Run e na de Santa Maria haverá, em fevereiro, pela primeira vez, uma prova de corrida do mesmo género.

Estão também já homologadas e em desenvolvimento as grandes rotas da Graciosa e de São Jorge.

As grandes rotas acabam por unir uma série de trilhos mais pequenos e abrir e recuperar antigos caminhos usados pelas populações no passado, sendo uma forma de valorizar o património natural das ilhas, mas também algum património cultural e histórico, como referiu Rodrigo Borba, na apresentação da grande rota Das Flores, que decorreu na Fajã Grande, concelho das Lajes.

O secretário regional do Turismo dos Açores, Vítor Fraga, acrescentou que os trilhos são hoje um produto “bem consolidado na região” e “um cartaz turístico” do arquipélago, havendo 80 homologados (716 quilómetros no total).

Vítor Fraga destacou que as grandes rotas respondem às “tendências mundiais da procura” e atraem turistas “amantes do turismo ativo e de aventura e ambientalmente mais exigentes”.

Além disso, servem de palco a “grandes eventos internacionais de 'ultra trail', modalidade em expansão mundial”, pelo que aumentam a “notoriedade internacional do arquipélago como referência no setor do turismo ativo de natureza”.

O secretário regional sublinhou ainda que este é um produto turístico “de ano inteiro”, que poderá ajudar a combater a sazonalidade do turismo açoriano.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.