Governo dos Açores garante "acompanhamento permanente" à situação das cooperativas

Governo dos Açores garante "acompanhamento permanente" à situação das cooperativas

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Ago de 2014, 10:37

A Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente dos Açores assegurou esta quinta-feira que dá um "acompanhamento permanente" à situação das cooperativas na região, classificando de "totalmente infundadas" declarações do deputado do PCP sobre o setor.

 

Em comunicado, aquele gabinete sublinha que “são totalmente infundadas as declarações do deputado do PCP sobre o relacionamento com o setor cooperativo da Região, tendo em conta que o Governo dos Açores (…) tem desenvolvido um acompanhamento permanente da situação das cooperativas, em geral, e das de lacticínios, em particular”.

O líder do PCP nos Açores, Aníbal Pires, desafiou na terça-feira, no final de uma visita à ilha das Flores, o Governo Regional a encontrar novas metodologias de relacionamento e responsabilização com o setor cooperativo para o ajudar a ultrapassar as dificuldades que atravessa, nomeadamente através da disponibilização de apoio técnico para a gestão comercial, económica e financeira e na tentativa de reestruturação das dívidas junto da banca.

“O Governo, que foi utilizando ao longo dos anos o setor cooperativo com fins político eleitorais, que agora não se fique apenas por palavras de preocupação, mas que encontre novas metodologias e responsabilização, de modo a que os problemas possam ser ultrapassados”, disse Aníbal Pires.

A consolidação e a eficiência são dois dos principais desafios com que se confrontam as dez cooperativas de lacticínios existentes nos Açores, segundo um relatório recente sobre o setor feito pela comissão de Economia do parlamento açoriano.

A Secretaria Regional da Agricultura adiantou que, por exemplo, o programa de apoio à gestão das organizações de produtores já permitiu a contratação de cerca de 20 técnicos especializados colocados ao dispor de várias cooperativas do arquipélago.

Ao abrigo do diálogo mantido com as cooperativas, a tutela referiu que, também, já foi possível conseguir a dilação de prazos de pagamento de empréstimos bancários, assim como obter, no âmbito da reestruturação das dívidas bancárias, novos financiamentos, que permitiram às cooperativas em causa liquidar encargos e satisfazer necessidades de tesouraria.

Segundo o Governo dos Açores, a sua postura tem-se pautado pela coresponsabilização das partes envolvidas, mas em pleno respeito pela autonomia das cooperativas.

“São totalmente injustificadas as declarações do deputado do PCP/Açores, tendo em conta a determinação do Governo dos Açores em assegurar as condições para que, dentro das competências de cada uma das partes, as cooperativas açorianas possam desenvolver estratégias que lhes garantam um projeto sustentável de futuro”, sustentou o executivo regional.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.