Furacão Alex impediu três transportes de doentes nos Açores e uma mulher acabou por morrer

Furacão Alex impediu três transportes de doentes nos Açores e uma mulher acabou por morrer

 

Rui Jorge Cabral   Regional   15 de Jan de 2016, 19:42

Furacão não provocou estragos, mas a impossibilidade de fazer transporte aéreo de doentes acabou por resultar numa morte

Quando tudo indicava que a passagem do furacão Alex pelos Açores não iria ter consequências graves, já de noite chegou a notícia que uma mulher morreu na ilha das Flores, na sequência de não ter sido possível fazer deslocar à ilha um helicóptero para fazer o transporte médico.
Em nota difundida pelo GACS, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores refere que recebeu três pedidos de evacuação aérea durante a passagem do furacão Alex pelo arquipélago. Dois na quinta-feira à noite e um já na madrugada de sexta-feira.  O primeiro pedido surgiu às 20h54, vindo da Unidade de Saúde de Ilha de São Jorge e o segundo pelas 21h00, por parte da Unidade de Saúde da Ilha das Flores. O terceiro pedido foi feito pelas 3h55 de sexta-feira também da Unidade de Saúde das Flores.
Ainda segundo o GACS, a Força Aérea voou para São Jorge para responder ao primeiro pedido de evacuação, mas devido à aproximação do furacão Alex, “considerou não estarem reunidas as condições de segurança para voar para as Flores, pelo que o pedido ficou a aguardar a melhoria das condições atmosféricas”, refere o Gabinete de Apoio à Comunicação Social do Governo Regional.
O mesmo refere também que pelas 11h10 de sexta-feira “as operações da Base Aérea n.º 4 informaram  que estavam reunidas as condições para que o helicóptero se deslocasse à ilha das Flores, tendo sido desencadeada a evacuação”, sendo que “durante o período de espera pela evacuação aérea, o médico da Unidade de Saúde de Ilha das Flores foi sendo devidamente acompanhado pelo médico regulador da Proteção Civil e pelo médico da Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital da Horta, através dos sistemas de telemedicina e telemonitorização”.
Um dos utentes foi evacuado das Flores às 16h49 e entregue pela equipa de evacuações aéreas no Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira, mas o outro doente, uma mulher da ilha das Flores e cujo pedido de evacuação aguardava desde as 21h00 de quinta-feira faleceu às 14h00 de sexta-feira, após uma paragem cardiorrespiratória, não tendo o Açoriano Oriental conseguido apurar junto da Secretaria Regional da Saúde se a causa da morte foi ou não a causa do pedido de evacuação feito na quinta-feira à noite.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.