Exumado corpo de ex-Presidente polaco morto no acidente aéreo de Smolensk em 2010


 

Lusa/AO online   Internacional   22 de Out de 2012, 15:12

Os corpos do antigo Presidente polaco Ryszard Kaczorowski e de outra vítima do acidente com o avião presidencial polaco, em abril de 2010, em Smolensk, Rússia, foram exumados esta segunda-feira em Varsóvia na sequência de uma identificação errada.

“Dúvidas sobre a identidade dos corpos, surgidas na documentação judicial, conduziram o Ministério Público militar à exumação de dois corpos”, indicou o porta-voz deste órgão judicial, mas que recusou identificar os corpos exumados.

Segundo os media polacos, o corpo de Ryszard Kaczorowski foi trocado pelo de outra vítima do acidente do avião presidencial polaco.

"A pedido da família, não podemos revelar a identidade das pessoas exumadas”, declarou Rzepa.

"Os corpos foram transportados para Cracóvia (sul) para testes com scanner, antes de serem transferidos para a Academia de medicina judicial de Wroclaw (sudoeste) para outros exames, designadamente testes de ADN”, adiantou.

Um outro erro de identificação das vítimas do acidente de Smolensk levou em setembro último à exumação do corpo de Anna Walentynowicz, heroína da luta operária contra o comunismo e cofundadora do movimento Solidariedade, e de uma outra vítima, que foram trocadas quando foram enterradas.

O segundo funeral de Walentynowicz realizou-se posteriormente em Gdansk (norte) na presença nomeadamente da família e de Jaroslaw Kaczynski, o irmão gémeo do Presidente Lech Kaczynski, que morreu no acidente de Smolensk.

O Ministério Público prevê ainda exumar pelo menos mais dois corpos, precisou o porta-voz.

O avião do Presidente polaco Lech Kaczynski despenhou-se a 10 de abril de 2010 quando tentava aterrar com um espesso nevoeiro no aeroporto de Smolensk. Noventa e seis pessoas morreram no acidente.

A delegação polaca ia assistir em Katyn, perto de Smolensk, às cerimónias do 70.º aniversário do massacre de vários milhares de oficiais polacos presos do Exército Vermelho pela polícia secreta soviética durante a Segunda Guerra mundial.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.