Estudantes observam funcionamento dos tribunais

Carregando o video...

 

Luís Pedro Silva   Regional   5 de Dez de 2012, 16:52

O caso de uma mulher acusada de praticar um crime de burla e falsificação de documentos foi na terça-feira acompanhado por uma turma de alunos da Escola Secundária das Laranjeiras.


O processo nasceu há 14 anos, mas apenas começou a ser julgado ontem em Ponta Delgada, porque a arguida fugiu à justiça, tendo sido localizada recentemente no Canadá. A distância temporal entre a prática do crime e o início do julgamento provocou o esquecimento de vários factos às testemunhas, causando dificuldade ao tribunal em garantir a prova dos crimes.


O julgamento decorreu sem a presença da arguida, que se encontra a viver no Canadá, e permitiu aos estudantes verificar os problemas existentes no funcionamento da justiça.


“Neste caso em particular havia muitas lacunas e percebemos que existem muitos casos que ficam sem culpados por falta de provas, apesar de se verificar que havia muitas falcatruas, mas acho que neste caso a justiça não pode fazer nada”, alegou um jovem estudante da escola das Laranjeiras.


A presença dos alunos no julgamento é o resultado da iniciativa “Tribunais de Portas Abertas”, promovida pela Associação Sindical dos Juízes Portugueses, para garantir uma maior transparência para a comunidade.

 

Diversos juízes do tribunal de Ponta Delgada aceitaram colaborar neste projeto e até ao final da semana vão receber os alunos das escolas secundárias e explicar as regras de funcionamento dos julgamentos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.