Escolas das Flores e Corvo, fechadas devido à previsão de mau tempo

Escolas das Flores e Corvo,  fechadas devido à previsão de mau tempo

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Dez de 2016, 05:35

As escolas das ilhas das Flores e do Corvo, nos Açores, vão estar encerradas na quarta-feira devido à previsão do agravamento das condições meteorológicas, disse hoje fonte da Secretaria Regional da Educação e Cultura.

“Os conselhos executivos das escolas, em conjunto com a Direção Regional da Educação, decidiram tomar esta iniciativa”, afirmou à agência Lusa a mesma fonte.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) emitiu hoje avisos laranja para sete ilhas dos Açores devido à previsão de vento e agitação marítima, com rajadas que podem chegar aos 130 quilómetros/hora e ondas até nove metros.

Segundo o IPMA, o aviso laranja para vento vigora entre as 11:00 de quarta-feira e as 02:00 de quinta-feira (mais uma hora em Lisboa) no Corvo e nas Flores, grupo ocidental do arquipélago.

Para estas duas ilhas, foi emitido, ainda, um aviso laranja para agitação marítima entre as 14:00 e as 22:00 de quarta-feira.

Um aviso laranja foi igualmente emitido para o grupo central dos Açores – ilhas do Pico, Terceira, São Jorge, Faial e Graciosa – a partir das 14:00 de quarta-feira até às 05:00 de quinta-feira devido ao vento.

A mesma fonte da Secretaria Regional da Educação e Cultura dos Açores informou que não está previsto o encerramento de escolas nestas cinco ilhas, atendendo a que o aviso vigora a partir da tarde, ressalvando, contudo, que esta possibilidade está em permanente avaliação.

O IPMA emitiu, também, aviso amarelo devido à previsão de chuva, trovoada, agitação marítima e vento, para os grupos ocidental, central e oriental, este último constituído pelas ilhas de São Miguel e Santa Maria.

Estes avisos começam a vigorar à 11:00 de quarta-feira, prolongando-se por um período até 24 horas.

O aviso laranja é o segundo mais grave de uma escala de quatro e indica situação meteorológica de risco moderado a elevado. Já o aviso amarelo, o terceiro mais grave, indica situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Segundo Patrícia Navarro, meteorologista da Delegação Regional dos Açores do IPMA, “uma depressão em fase de cavamento irá passar a norte do grupo ocidental, provocando um agravamento do estado do tempo”.

“O vento poderá atingir rajadas de 130 quilómetros por hora no grupo ocidental a partir do meio-dia de quarta-feira”, enquanto no grupo central as rajadas podem chegar aos 120 quilómetros/hora, declarou a meteorologista.

Estão ainda previstas ondas entre os oito a nove metros no grupo ocidental e de seis a sete metros no grupo central.

“É possível precipitação, pontualmente forte, que eventualmente poderá vir a ser acompanhada de trovoada”, adiantou Patrícia Navarro.

Entretanto, a Autoridade Marítima nos Açores anunciou na segunda-feira que é previsível um agravamento das condições meteorológicas, explicando que este será notado "pela ocorrência de vento forte, chuva intensa e aumento da ondulação”, que pode atingir “mais de seis metros de altura”.

“Recomenda-se, por isso, à comunidade marítima o reforço das amarrações e vigilância das embarcações, sobretudo nas zonas viradas a sul e, por isso, mais expostas à forte ondulação que se prevê”, adiantam comunicados emitidos pelas capitanias, que aconselham a população a evitar “os passeios junto à linha de água, em particular os molhes, piscinas naturais e zonas balneares”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.