Neurologia

Epilépticos revelam taxas mais elevadas de morte repentina


 

Lusa/AO online   Nacional   18 de Nov de 2011, 15:58

As pessoas com epilepsia apresentam taxas mais elevadas de défice cognitivo, de perturbações comportamentais e psiquiátricas e de morte repentina, segundo estudos desenvolvidos por uma investigadora norte-americana que participa sábado, em Lisboa, num fórum sobre neurologia.
Os mais recentes dados científicos sobre esta patologia serão abordados por investigadores estrangeiros, entre os quais Anne Berg - coordenadora do grupo de trabalho da International League Against Epilepsy - no Fórum BIAL de Neurologia 2011 organizado em parceria com a Liga Portuguesa Contra a Epilepsia.

Nesta acção participam também vários neurologistas nacionais, responsáveis pela apresentação de casos clínicos relacionados com esta doença.

Nos seus estudos, a investigadora norte-americana estabelece uma relação entre epilepsia, comportamento e cognição.

Segundo Anne Berg, os indivíduos com epilepsia apresentam taxas mais elevadas de défice cognitivo, de perturbações comportamentais e psiquiátricas, de morte repentina e/ou suicídio e ainda percentagens inferiores no que concerne ao aproveitamento escolar e algumas actividades sociais, caso do emprego e casamento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.