Deslocação de doentes e acompanhantes custou 10,3 milhões de euros

Deslocação de doentes e acompanhantes custou 10,3 milhões de euros

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   16 de Jun de 2017, 18:29

O Governo dos Açores gastou o ano passado 10,3 milhões de euros com a deslocação de doentes e acompanhantes entre ilhas do arquipélago e para unidades de saúde no exterior da região.

“O custo total registado em 2016 com a deslocação de doentes e acompanhantes, interilhas e para unidades de saúde no exterior da região, totalizou 10,3 milhões de euros”, lê-se na resposta do executivo açoriano, liderado pelo socialista Vasco Cordeiro, a um requerimento apresentado pelo grupo parlamentar do CDS-PP na Assembleia Legislativa Regional.

Na resposta, disponibilizada no sítio da Internet do parlamento açoriano, em www.alra.pt, ressalva-se que os dados são estimados, “uma vez que ainda decorre o fecho definitivo das contas de gerência” das unidades de saúde de ilha e dos hospitais, localizados em Ponta Delgada (São Miguel), Angra do Heroísmo (Terceira) e Horta (Faial).

No requerimento, os deputados do CDS-PP queriam “perceber a totalidade das despesas relativas à deslocação de doentes e seus acompanhantes, bem como a totalidade das deslocações efetuadas, não só interilhas, como também para unidades de saúde no exterior da região”.

Segundo o Governo dos Açores, no ano passado foram deslocados pelas unidades de saúde 20.543 doentes, enquanto os hospitais transferiram 5.266 doentes.

“Foram deslocados 15.471 doentes com acompanhantes, 11.788 das unidades de saúde e 4.454 dos hospitais”, adianta a resposta.

O documento acrescenta que as “unidades de saúde de ilha deslocaram 322 doentes para os hospitais do continente”, sendo que para o hospital de Ponta Delgada esse número foi de 5.449 pacientes, para o hospital da Horta 8.458 e para o de Angra 6.216 utentes. Acrescem, ainda, 98 doentes que foram direcionados para outras instituições da região.

Por sua vez, em 2016, os três hospitais da região deslocaram 4.044 doentes para hospitais do continente e 22 para o estrangeiro, sendo que entre hospitais do arquipélago o número foi de 1.200.

O executivo regional adianta que 275 doentes foram deslocados para o hospital onde optaram por ser tratados, ao abrigo do direito de opção, havendo ainda 408 pacientes que foram deslocados com acompanhamento técnico.

O Serviço de Apoio ao Doente Deslocado, sediado em Lisboa, “atendeu e acompanhou 1.793 doentes e 1.150 acompanhantes” o ano passado.

Em abril, o Governo Regional informou que a deslocação de doentes e acompanhantes das seis ilhas sem hospital nos Açores (Corvo, Flores, Pico, Santa Maria, Graciosa e São Jorge) para as três unidades hospitalares do Serviço Regional de Saúde teve um custo de 4,3 milhões de euros em 2016.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.