Conselho de Independentes do PSD/Açores quer regresso a matriz social-democrata


 

Lusa/AO Online   Regional   19 de Nov de 2015, 18:12

O coordenador do Conselho Consultivo de Independentes do PSD/Açores defendeu hoje que o partido, enquanto maior da oposição, deve voltar a assumir a sua matriz social-democrata, visando as eleições legislativas regionais açorianas de 2016.

“Tenho defendido que o PSD/Açores apenas acrescentará uma proposta útil aos açorianos no momento em que for capaz de regressar à sua matriz social-democrata e apresentar um projeto de centro esquerda, no sentido de priorizar a igualdade, que é aquilo que me parece deve ser a palavra-chave do programa eleitoral para 2016”, declarou o jornalista e escritor Joel Neto à agência Lusa.

Depois de um ano de trabalho de várias dezenas de pessoas, algumas das quais colaboraram de forma anónima por, segundo Joel Neto, terem “receio de represálias” no exercício das suas atividades profissionais, o líder do PSD/Açores apresenta hoje, em Ponta Delgada, o livro que contempla as propostas recolhidas na sociedade civil pelo Conselho Consultivo de Independentes.

Joel Neto refere que os colaboradores no projeto possuem todo o tipo de competências técnicas, sendo este um contributo de uma sociedade civil que trabalhou “de forma desinteressada”, à noite e ao fim-de-semana, tendo “como único interesse a defesa dos Açores”.

No resumo das propostas que resultaram do trabalho desenvolvido pelo Conselho Consultivo de Independentes, enviado à agência Lusa, defende-se a necessidade de, na área dedicada à família, haver uma “especial atenção” às crianças em risco, propondo-se uma estrutura que permita uma maior ocupação dos tempos livres e a mudança dos programas de apoio às crianças sinalizadas dos Centros de Saúde para a Segurança Social.

Na área da Saúde propõe-se, entre outras medidas, uma aposta na informatização do sistema que permita uma verdadeira prescrição eletrónica, com a utilização, por exemplo, do número de cartão de utente nas farmácias, que estaria associado à receita anteriormente prescrita pelo médico.

No que concerne ao Emprego, o Conselho Consultivo de Independentes defende a ligação do mercado de trabalho ao ensino, de modo a que a formação profissional corresponda às reais necessidades dos potenciais empregadores, salvaguardando-se a “urgência em agilizar processos” que permitam o investimento privado, nacional e estrangeiro.

A terceira parte do estudo é dedicada ao desenvolvimento dos Açores, destacando-se a necessidade de renovação da frota marítima para responder às necessidades de passageiros e carga e a liberalização do transporte marítimo, à semelhança do transporte aéreo.

Ainda no capítulo dos transportes, preconiza-se a “redução acentuada” dos preços dos transportes inter-ilhas, para, na área económica, defender-se o pagamento semanal de salários para permitir uma melhor gestão do orçamento familiar e estimular a economia.

De acordo com o Conselho Consultivo de Independentes do PSD/Açores, é necessário reforçar políticas e investimento para que a região possa “fugir das posições negativas que tem em ‘rankings’ nacionais”, como os de insucesso escolar, abuso sexual, abandono escolar, violência doméstica, consumo de álcool, pobreza persistente, dificuldade no acesso aos cuidados primários de saúde, listas de espera para cirurgias, entre outros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.