Cavaco dedica hoje o dia à indústria do calçado, setor com mais de 41 mil trabalhadores

Cavaco dedica hoje o dia à indústria do calçado, setor com mais de 41 mil trabalhadores

 

Lusa/AO Online   Economia   14 de Nov de 2014, 06:33

O Presidente da República dedica o dia à indústria do calçado, um dos setores com maior saldo comercial da economia portuguesa, com quase 1.700 empresas e que emprega mais de 41 mil trabalhadores.

 

No âmbito da terceira jornada do Roteiro para uma Economia Dinâmica, o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, irá visitar cinco empresas localizadas em Vila Nova de Gaia, Guimarães, Felgueiras e São João da Madeira e participará numa "sessão de homenagem à indústria do calçado", onde serão condecorados um conjunto de empresários.

De acordo com uma nota da Presidência da República, o setor da indústria do calçado é o mais internacionalizado da economia portuguesa, exportando mais de 95% da produção, para 132 países dos cinco continentes.

Com 1.696 empresas nas suas fileiras, o setor do calçado emprega cerca de 41.300 trabalhadores, com as regiões de maior concentração desta indústria - São João da Madeira, Felgueiras, Guimarães, Feira e Oliveira de Azeméis - a apresentarem das "mais baixas taxas de desemprego do país.

Nos últimos quatro anos, as exportações cresceram 40% e, em 2013 ultrapassaram, pela primeira vez, a barreira dos 1.700 milhões de euros.

A primeira empresa que o Presidente irá visitar hoje de manhã será a Procalçado, instalada em Vila Nova de Gaia, que apresenta um volume de negócios de cerca de 25 milhões de euros e emprega 325 trabalhadores.

Com uma percentagem de exportação de 55%, a Procalçado estrutura a sua atividade na produção de 3 marcas principais - a For Ever, Wock e Lemon Jelly - e tem na sua génese a produção de solas, produzindo atualmente cerca de 6 milhões de solas por ano.

Cavaco Silva visitará depois o Grupo Kyaia, em Guimarães, que tem como marcas a FLY London e a Softinos. Com um volume de negócios de 55 milhões de euros e 600 trabalhadores, este grupo empresarial tem uma percentagem de exportação de 90%, e para além da produção de calçado dedica-se às áreas da distribuição, do retalho e também às tecnologias de informação.

Ao almoço, o Presidente da República irá participar numa sessão de homenagem à indústria do calçado, na Pousada de Santa Mainha, em Guimarães, onde serão agraciados o diretor-geral da Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes e Artigos de Pele (APICCAPS), Manuel Carlos Costa da Silva, os empresários Armando Luís da Silva, Carlos Pereira de Castro, Carlos Santos, Domingos Ferreira Neto, Fernando Rodrigues Lima, e o estilista Luis Onofre.

À tarde, o chefe de Estado passará pela Nobrand, em Felgueiras, a marca da empresa Máximo Internacional, S.A, que emprega diretamente 108 trabalhadores, e exporta para 33 países, estando presente em mais de 1.200 postos de venda.

Em São João da Madeira, Cavaco Silva irá visitar a fábrica de calçado Zarco, que tem como atividade principal o fabrico de calçado de homem de "alta gama", orientando 90 por cento da sua produção para exportação. Os seus mercados prioritários são a Alemanha, França, Holanda, Japão, Bélgica, Rússia, Estados Unidos e Médio Oriente. Com um volume de negócios de 9 milhões de euros, a Zarco emprega 106 trabalhadores.

Por último, a caravana presidencial passará pelo Centro Tecnológico do Calçado de Portugal, também em São João da Madeira, criado em 1986 e que ocupa atualmente 45 pessoas das quais 37 são quadros superiores.

Segundo a Presidência da República, nesta terceira jornada do Roteiro para uma Economia Dinâmica, o chefe de Estado pretende sublinhar "o papel decisivo" dos empresários da indústria do calçado para a economia portuguesa e o salto qualitativo destas empresas nas últimas décadas.

O Roteiro para uma Economia Dinâmica foi lançado em abril de 2014 e tem como objetivo dar a conhecer as pequenas e médias empresas industriais e exportadoras de dimensão intermédia.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.