Candidatura das fajãs de São Jorge a reserva da biosfera engloba toda a ilha

Candidatura das fajãs de São Jorge a reserva da biosfera engloba toda a ilha

 

Lusa/AO Online   Regional   23 de Mar de 2015, 09:12

Os Açores vão apresentar à Unesco uma candidatura das fajãs de São Jorge a reservas da biosfera, que engloba toda a ilha e a zona marítima que a envolve, até 3 milhas da costa.

A região autónoma conta ter concluído todo o processo de candidatura das fajãs de São Jorge até setembro, mas vai apresentar já esta semana a sua proposta à Rede Mundial de Reservas da Biosfera da Unesco em Ilhas e Zonas Costeiras, na conferência deste organismo que arranca hoje em Malta.

Este é um "momento importante" neste processo, porque permitirá fazer contactos e tentar mobilizar "apoios externos" para a candidatura açoriana, disse à Lusa o diretor regional do Ambiente do Governo dos Açores, Hernâni Jorge, que explicou que num processo destes, a par de uma "boa e bem estruturada candidatura", é "fundamental" fazer esta espécie de trabalho diplomático de procura de aliados.

Hernâni Jorge lembrou que há cerca de 600 reservas da biosfera da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) espalhadas por 119 países, com "sensibilidades" diferentes, sendo necessário desenvolver este trabalho de promoção externa de uma nova candidatura.

Na semana passada, a comissão de acompanhamento da candidatura criada pelo executivo açoriano definiu e acordou a proposta de delimitação de áreas, conforme as regras da Unesco, que preveem a definição de áreas de núcleo, de transição e de tampão.

Assim, a proposta prevê como área classificável toda a ilha de São Jorge e uma área marinha adjacente até 3 milhas da costa, disse ainda Hernâni Jorge.

A proposta estará em consulta pública a meio do ano, prevendo os Açores formalizar a candidatura à Unesco em setembro.

A decisão sobre a classificação das fajãs de São Jorge deverá ser conhecida na primavera de 2016.

Esta semana, em Malta, os Açores, além de apresentarem esta candidatura à Rede Mundial de Reservas da Biosfera em Ilhas e Zonas Costeiras, passarão também formalmente a integrar este organismo.

"A Rede Mundial de Reservas da Biosfera da Unesco em Ilhas e Zonas Costeiras foi criada em 2009 e reúne atualmente cerca de seis dezenas de reservas em todos os continentes", explicou o Governo açoriano, num comunicado.

Nos Açores, existem já três reservas da biosfera da Unesco: as ilhas do Corvo, Flores e Graciosa.

O Paul do Boquilobo, no concelho da Golegã, foi a primeira Reserva da Biosfera (aprovada em 1981) classificada em Portugal, seguindo-se, em 2007, o Corvo e a Graciosa; em 2009, a ilha das Flores e a Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés (que junta o Parque Nacional da Peneda-Gerês e o Parque Natural da Baixa Limia, na Galiza, Espanha) e, em 2011, as Berlengas (Peniche) e Santana (Madeira).

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.