Burros de raça mirandesa já foram apadrinhados por mais de 900 pessoas

Burros de raça mirandesa já foram apadrinhados por mais de 900 pessoas

 

Lusa/AO online   Nacional   22 de Dez de 2012, 11:46

Cerca de 900 pessoas espalhadas um pouco por todo o país e no estrangeiro já aderiram à campanha de apadrinhamento dos burros de raça mirandesa, através de uma iniciativa que teve início no Natal de 2005.

A ideia foi da Associação para o Estudo e Proteção do Gado Asinino (AEPGA), que tem vindo a promover a campanha de apadrinhamento do burro mirandês, de forma a angariar fundos que permitam assegurar o bem-estar dos animais que estão ao seu cuidado e ao mesmo tempo ajudar na manutenção desta raça autóctone.

"Está é uma forma encontrada para garantir o trabalho desenvolvido pela associação de apoio a criadores e proprietários de burros e mulas em todo o Nordeste Transmontano", disse à Agência Lusa, o secretário técnico da AEPGA, Miguel Nóvoa.

O apadrinhamento de um burro pode ser feito individualmente ou em grupo com um custo de 30 euros por ano.

"Quem conceder um apoio institucional ou empresarial pagará um valor mínimo de 250 euros, que pode ser deduzido no IRS ao abrigo da lei do mecenato ambiental", explicou o responsável.

Com os fundos recolhidos têm sido levadas a cabo diversas iniciativas, que vão desde de campanhas para a promoção da sanidade animal até a realização de atividades que permitam a conservação deste "importante" património genético.

Animais que têm nomes próprios como a Cuca, a Bolhaca, a Gaivota, a Gorongosa, o Tó, o Atenor ou a Andorinha, estão inscritos numa lista que está ao dispor dos interessados bastando para efeito preencher a Ficha de Apadrinhamento disponível em: http://aepga.pt/apadrinhamentos/, informando apenas o Burro(a) que foi escolhido para apadrinhar.

"Ao longo do ciclo de vida de um animal desta raça, que poderá alcançar uma longevidade de 35 anos, os padrinhos poderão assim acompanhar a evolução dos seus afilhados e mesmo tempo passar algum tempo na sua companhia proporcionando momentos de pura diversão e bem-estar ", acrescentou o técnico.

A título de exemplo, o burro que dá pelo nome de Tó é uma das estrelas da burricada de Atenor, já que faz as delícias dos visitantes do centro, das famílias estrangeiras que o têm por companheiro de viagem durante cinco dias e também de todos os que participam nas atividades proporcionadas pela AEPGA pelo país fora.

"É assim tão afável por ter ficado órfão em 2003 com apenas 11 dias de idade e por ter sido, a partir daí, alimentado a biberão quase tornou num animal referência do centro de recria", salientam os responsáveis pela AEPGA.

Em jeito de conclusão, um dos principais objetivos desta campanha é o de criar elos de ligação entre as pessoas que ajudam a associação e os animais que apadrinham.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.