Barcelona alimenta pombos com contracetivos para reduzir número

Barcelona alimenta pombos com contracetivos para reduzir número

 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   22 de Fev de 2017, 17:05

A Câmara Municipal de Barcelona vai, a partir da próxima semana, alimentar os pombos da cidade com uma mistura que inclui contracetivos, uma nova técnica para reduzir substancialmente a população destas aves que ali vivem.

 

O comissário responsável pela Ecologia da capital da Catalunha, citado pela agência Efe, explicou na terça-feira a entrada em funcionamento de 40 distribuidores automáticos de comida à base de milho com nicarbazina, uma substância contracetiva, para alimentar os 85.000 pombos que se calcula que vivam em Barcelona.

Segundo Frederic Ximeno, os distribuidores vão ser instalados em pontos estratégicos da cidade, em função da quantidade e densidade de pombos, tomando ainda em consideração os lugares onde se registaram mais incidentes de mal-estar causado por estas aves.

O autarca referiu que Barcelona é a primeira grande cidade europeia que implementa este método que é baseado em experiências feitas em Génova (Itália).

Frederic Ximeno assegurou que se trata de um sistema simples, que não tem efeitos secundários sobre as pessoas, porque a nicarbazina só inibe a produção de ovos de aves, e que a médio prazo será tão caro como o das capturas, utilizado até agora para resolver o problema de sobrepopulação de pombos.

A autarquia espera uma redução de 20 % da população no primeiro ano e de 70-80 % no final de 4-5 anos.

Os pombos são uma espécie dominante que ocupa o espaço e que, em grandes quantidades, comportam ricos para a saúde pública, o mobiliário urbano e o espaço público e privado.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.