Alemanha e Itália pedem reforma radical do sistema de asilo na Europa

Alemanha e Itália pedem reforma radical do sistema de asilo na Europa

 

AO/Lusa   Internacional   5 de Mar de 2016, 15:22

Os ministros do Interior da Alemanha e de Itália propuseram, numa carta à Comissão Europeia (CE), uma reforma radical do sistema de asilo na Europa, indica este sábado o diário alemão Suddeutsche Zeitung.

 

Na missiva, Thomas de Maiziere e Angelino Alfano defendem a criação de uma agência de asilo europeia e pedem uma "reforma ambiciosa" do Acordo de Dublin, que tem definido até agora as competências dos países em relação aos refugiados que chegam à Europa.

O primeiro passo, segundo a carta, é melhorar a proteção das fronteiras exteriores da União Europeia (UE) para reduzir o número de refugiados que chegam à Europa.

Tal implicará, com a ajuda do Frontex, criar um sistema de registo europeu que inclua uma análise de segurança de todos os imigrantes e refugiados que cheguem ao território europeu.

Os dois países lembram que o atual sistema, com centros de registo, deve ser integrado num mecanismo europeu para evitar que as pessoas se registem em vários países e que peçam asilo em cada um deles.

A meta, segundo a carta, é a criação de um "sistema de asilo autenticamente europeu", integrado num outro, também conjunto, para apoiar os processos de regresso aos países de origem a quem chegue ilegalmente à Europa por razões económicas.

Alemanha e Itália propõem ainda a criação de um contingente europeu de refugiados que deveria ser acolhido nos países de origem e transportados para a Europa, onde seriam repartidos pelos 28 Estados membros da EU, evitando-se os "muitos riscos" inerentes à travessia do Mediterrâneo.

Este tema tem sido proposto pelo ministro do Interior há vários meses, mas sem conseguir obter consenso nem mesmo dentro do próprio Governo alemão.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.