Açores vão rever modelo de gestão das reservas da biosfera

Açores vão rever modelo de gestão das reservas da biosfera

 

Lusa/AO Online   Regional   26 de Set de 2014, 07:17

O secretário regional da Agricultura e Ambiente revelou hoje que os Açores vão passar a dispor de um de um comité MAB "Man and the biosphere", que irá contribuir para rever o modelo de gestão das reservas da biosfera.

“O facto de dispormos, atualmente, de três reservas da biosfera e de estarmos confiantes de que as fajãs de São Jorge se lhes juntarão em breve, aconselha que repensemos o modelo e a sua estrutura de gestão, bem como a respetiva promoção, numa perspetiva integradora, que, em simultâneo, promova a partilha de experiência e potencie as vantagens específicas de cada reserva. Para tanto, criaremos um Comité MAB Açores”, declarou Luís Neto Viveiros.

O titular da pasta do Ambiente falava na abertura do seminário “Reservas da Biosfera – Um contributo para o desenvolvimento local”, que decorre nas Velas de São Jorge, integrado no XII Encontro Internacional da REDBIOS.

O governante açoriano revelou, por outro lado, que o executivo açoriano está a preparar “sem embargo, o quadro normativo dum sistema de incentivos à manutenção de paisagens tradicionais integradas em áreas classificadas em toda a região”.

Luís Neto Viveiros acentuou que este projeto vai contemplar as paisagens de vinha e pomares em currais, em fajãs e em socalcos, aproveitando o que considera “a experiência e o extraordinário sucesso dos últimos anos dos apoios à reabilitação da paisagem da cultura da vinha do Pico”.

O secretário regional da Agricultura e Ambiente referiu que a presença na ilha de São Jorge e o seminário “constituem o ponto de partida para a elaboração do processo de candidatura” das fajãs a reserva da biosfera.

O executivo açoriano vai agora, de acordo com o governante, desenvolver este trabalho no terreno, ao longo dos próximo meses, envolvendo as forças vivas de São Jorge, e em particular os seus dois municípios, que, afirmou, “desde a primeira hora, manifestaram todo o apoio a esta iniciativa”.

“Assim, o dossier será concluído até ao próximo verão, de forma a que em setembro de 2015 possamos submeter à UNESCO uma candidatura claramente vencedora e na qual se revejam todos os jorgenses”, declarou.

Luís Neto Viveiros acentuou que, paralelamente, a direção regional do Ambiente, desencadeará os processos de avaliação dos primeiros Plano de Ordenamento da Orla Costeira de São Jorge (POOC), que datam de 2005.

“Uma decisão com vista à respetiva revisão no quadro da estratégia de desenvolvimento sustentável de São Jorge, da valorização do património natural e cultural das suas fajãs e das obrigações e projeção internacional decorrentes da eventual classificação como reserva da biosfera”, declarou o titular da pasta do Ambiente.

O governante reiterou que ainda este ano, vai ser promovida a revisão do Plano Regional de Educação e Sensibilização Ambiental dos Açores (PRESAA) que dará lugar ao Plano Regional de Educação para o Desenvolvimento Sustentável dos Açores (PREDSA).

Luís Neto Viveiros concluiu que serão acrescentados aos projetos de educação e sensibilização ambiental um programa de dinamização que visa “levar a todos – cidadãos e empresas – informação sobre o valor social e económico do nosso património natural e cultural e as vantagens de uma cultura de sustentabilidade, associada ao conceito de economia verde”.

O XII Encontro Internacional das REDBIOS termina hoje na ilha do Pico, com a apresentação das conclusões finais do encontro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.