Açores salvaram 2.600 cagarros juvenis este ano

Açores salvaram 2.600 cagarros juvenis este ano

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Nov de 2014, 19:00

A campanha SOS Cagarro de 2014 salvou cerca de 2.600 aves desta espécie nas ilhas dos Açores, arquipélago onde dois terços da sua população mundial se reproduz, revelou hoje o Governo Regional.

Em 2013, tinham sido quase sete mil as aves salvas nesta campanha, promovida pelo executivo açoriano, mas o ano passado tinha sido "extraordinariamente produtivo", com um número "anormalmente alto" de animais recuperados, explicou à agência Lusa o secretário regional do Mar, Fausto Brito e Abreu.

A média dos sete anos anteriores a 2013 tinha sido de 3.350 cagarros salvos em cada campanha, sendo que em 2012, as aves recuperadas não chegaram às 1.800.

"Isto deve-se a uma variação natural da espécie", disse Fausto Brito e Abreu, explicando que cada casal adulto de cagarros produz uma única cria por ano, "que voa e está fora cerca de oito anos, algures no atlântico sul, normalmente".

"A população reprodutora, de ano para ano, varia, em função da disponibilidade de alimentos, o sucesso reprodutor da espécie, em função de haver reprodução numa altura do ano em que não haja tanto peixe que eles usam para se alimentar (...). Estão sujeitos também às condições ambientais nos locais por onde passam no inverno, em África, na América Latina, no Atlântico sul. Por isso, há uma variação natural em que a baixa do ano passado para este não é anormal", acrescentou.

A campanha SOS Cagarro 2014 decorreu de 15 de outubro a 15 de novembro, sendo "uma boa prática de conservação da natureza e de educação ambiental", com balanço "muito positivo”, segundo Brito e Abreu, que sublinha a "responsabilidade" dos Açores em relação a esta espécie, já que 75% da sua população mundial escolhe as ilhas para se reproduzir.

Além disso, sublinhou que, historicamente, os pescadores açorianos "aprenderam a usar" os cagarros "para detetar a localização de cardumes".

Os cagarros procuram as ilhas para se reproduzirem e fazem uma só postura de ovo anual, começando os juvenis a realizar os primeiros voos em outubro e novembro.

Nestas primeiras saídas, podem ser atraídos por luzes fortes (da iluminação pública, por exemplo) e ficarem desorientados, caindo com frequência em locais expostos a diversos perigos, como as estradas.

O objetivo da campanha, que se realiza desde 1995, é mobilizar a população para salvar os cagarros juvenis, sobretudo junto às estradas, e entregá-los às autoridades competentes de cada ilha.

Este ano, segundo uma nota do Governo Regional, durante a campanha, foram tomadas medidas para a redução da iluminação pública, "principalmente nos locais identificados em anos anteriores como sendo os mais críticos", como campos de jogos e portos de pescas.

Na campanha SOS Cagarro 2014, organizada pelas direções regionais dos Assuntos do Mar e do Ambiente do Governo dos Açores, estiveram envolvidos cerca de 315 parceiros e 2.500 voluntários.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.