Açores querem compensação financeira de Bruxelas devido ao fim das quotas leiteiras

Açores querem compensação financeira de Bruxelas devido ao fim das quotas leiteiras

 

Lusa/AO Online   Regional   13 de Jan de 2015, 13:27

O presidente do Governo Regional dos Açores defendeu um financiamento complementar ao POSEI para compensar as regiões ultraperiféricas (RUP)do impacto do desmantelamento do regime de quotas leiteiras na União Europeia.

 

 

Vasco Cordeiro explicou que as verbas reivindicadas como complemento ao POSEI, programa específico da UE para compensar as RUP, visam também o facto dos grandes países produtores, no âmbito do embargo russo, poderem criar mecanismos de compensação para fazer face à queda do preço do leite aos produtores.

 

O líder do executivo dos Açores falava no âmbito da sessão de apresentação, em Ponta Delgada, do programa “Leite de Vacas Felizes – Puro Leite de Pastagem”, uma iniciativa da BEL Portugal.

Vasco Cordeiro considerou que o fim do regime de quotas no espaço comunitário vai resultar em “desafios significativos”, mas defendeu que se deve encarar este cenário “não como uma inevitabilidade sem resposta possível, mas sim como uma oportunidade para vingarmos num mercado com novos contornos”.

“Um mercado mais desregulado, é certo, mas também, cada vez mais consciente de que não é tudo igual nas prateleiras das superfícies comerciais, e cada vez mais exigente quanto a matérias como a qualidade, a segurança alimentar e a sustentabilidade de modos de produção”, declarou.

O presidente do executivo açoriano reiterou que vai continuar a lutar contra uma decisão da UE que, como está desenhada, “não tem em conta a situação das economias” das regiões ultraperiféricas, de forma particular dos Açores.

Vasco Cordeiro quer inscrever na agenda da XX conferência dos presidentes das RUP, que vai ter lugar a 5 e 6 de fevereiro, em Guadalupe, a questão das quotas leiteiras.

O presidente do Governo dos Açores declarou, por outro lado, que se tem vindo a trabalhar internamente o desmantelamento das quotas leiteiras com todos os agentes do setor que souberam, na sua ótica, “utilizar de forma eficiente” os recursos disponibilizados pelo executivo nos últimos anos.

De acordo com o líder do executivo açoriano, entre 2007 e 2013, os investimentos efetuados na modernização das explorações agropecuárias totalizaram cerca de 80 milhões de euros, enquanto a produção média anual por exploração se situa atualmente em cerca de 200 mil litros, quando, há quatro anos, era de cerca de 150 mil litros.

Vasco Cordeiro apontou ainda que foi canalizado um volume de fundos comunitários que gerou um investimento superior a 90 milhões de euros na modernização do nosso setor agroindustrial.

O chefe do executivo açoriano afirmou que foi inscrito na carta regional de obras públicas, para esta legislatura, investimentos num valor de cerca de 30 milhões de euros que vão “contribuir para uma maior qualidade” e para “reforçar a competitividade das explorações, por via da redução dos custos de produção”.

Vasco Cordeiro considerou que todo o trabalho desenvolvido internamente só surtirá efeito se os produtos açorianos forem diferenciados dos restantes que chegam ao mercado, apelando à qualidade.

Deixou ainda a mensagem de que os desafios que se colocam ao setor só podem ser ultrapassados num ambiente de “forte parceria” e “cumplicidade entre a produção, transformação e comercialização”.

Vasco Cordeiro divulgou também que vai ser aprovado em Conselho de Governo, esta semana, a estratégia de operacionalização, identidade visual e assinatura da marca Açores, transversal a toda a produção regional.

Na apresentação do programa “Leite de Vacas Felizes – Puro Leite de Pastagem”, a diretora geral da BEL Portugal, Ana Cláudia Sá, defendeu que este projeto visa transformar os produtos leiteiros açorianos nos “melhores do mundo”, potenciando as suas caraterísticas naturais.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.