Açores pedem inscrição das danças de Carnaval da Terceira como património cultural

Açores pedem inscrição das danças de Carnaval da Terceira como património cultural

 

LUSA/AO Online   Regional   4 de Jun de 2016, 15:23

A Direção Regional da Cultura dos Açores pediu a inscrição das danças, bailinhos e comédias do Carnaval da ilha Terceira no Inventário do Património Cultural Imaterial, foi hoje anunciado.

Uma nota do gabinete de imprensa do executivo açoriano revela que aquela entidade submeteu o pedido à Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), dando, assim, “seguimento a uma recomendação da Assembleia Legislativa”. A iniciativa permitiu disponibilizar “alguma informação da ficha de inventário e documentação constante do processo na base de dados em linha MatrizPCI, acessível através do endereço eletrónico www.matrizpci.dgpc.pt”, adianta a mesma nota. “Após a submissão do pedido de inventário, decorre, numa primeira fase, a apreciação prévia da proposta de inventariação por parte da DGPC, seguindo-se a consulta direta aos municípios competentes para emissão de um parecer”, refere. Posteriormente, a partir da base de dados, é “promovida uma consulta pública sobre a proposta de inventariação, ficando nesta fase disponível ‘online’ toda a ficha de inventário do pedido de inventariação das danças, bailinhos e comédias do Carnaval da Ilha Terceira” no Inventário do Património Cultural Imaterial. A última etapa do processo é a análise final por parte da DGPC e consequente decisão sobre a proposta de inventariação, informa o Governo Regional. “O processo contou com a parceria do Museu do Carnaval Hélio Costa, por se tratar da instituição mais especificamente vocacionada para a sistematização, preservação e divulgação do património relativo à tradição carnavalesca da ilha Terceira e ser detentor e guardião de alguns dos mais importantes espólios referentes a esta temática”, acrescenta a nota de imprensa. Em setembro de 2013, o parlamento açoriano, de maioria socialista, aprovou por unanimidade uma proposta do PSD que recomendava ao Governo Regional que efetuasse as diligências necessárias para a classificação das tradicionais danças e bailinhos de Carnaval da ilha Terceira como Património Cultural Imaterial de Portugal. Em fevereiro deste ano, os deputados sociais-democratas eleitos pela ilha Terceira questionaram o executivo regional, através de um requerimento, sobre o prazo de conclusão do processo, as diligências efetuadas e as entidades consultadas. Dois meses depois, o Governo dos Açores esclareceu que até final de maio deveria ser submetida a candidatura. Todos os anos, entre o sábado e a terça-feira de Carnaval, dezenas de grupos amadores percorreram a ilha atuando, de forma gratuita, em mais de 30 salas de espetáculos, até de madrugada, com manifestações que aliam a música ao teatro em rima. No último Carnaval, subiram ao palco mais de 60 grupos, divididos entre danças de pandeiro, danças de espada, bailinhos e comédias, envolvendo mais de 1.300 músicos, dançarinos e atores. As danças de pandeiro ou de espada, os bailinhos e as comédias são peças de teatro com temas cómicos ou trágicos, intercaladas com momentos musicais e coreografias.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.