Açores passam a ter guia para a prática de "canyoning"

Açores passam a ter guia para a prática de "canyoning"

 

Lusa/AO Online   Regional   1 de Set de 2014, 08:48

Os Açores vão passar a dispor de um guia bilingue onde estão sinalizados mais de uma centena de locais para a prática de "canyoning", uma modalidade em expansão no arquipélago, que pretende "rivalizar" com outros destinos.

 

O lançamento do guia vai ocorrer durante o primeiro Encontro Internacional de Canyoning nos Açores (Canyoning Internacional Meeting in the Azores), que de decorre de 28 de setembro a 03 de outubro na ilha das Flores, numa coorganização da Associação de Desportos de Aventura Desnível e Turismo dos Açores.

Francisco Silva, coordenador da secção de 'canyoning' da Associação Desnível e um dos autores do guia, em conjunto com Maria do Céu Almeida e Paulo Pacheco (um dos primeiros 'canyonistas' da região e coordenador da secção açoriana da Desnível), adiantou à agência Lusa que se trata de uma edição em português e inglês com "104 referências de 'canyoning' nos Açores, das quais 42 são nas Flores", a a ilha "com maior potencial".

"Há mais 'canyonings' nos Açores do que no continente. Além disso, o nosso guia supera muito mais do dobro do que as referências na Madeira", frisou Francisco Silva, para quem as ilhas açorianas têm potencialidades para complementar a oferta do arquipélago madeirense.

Além disso, a expansão da modalidade permite, no seu entender, combater a sazonalidade do turismo e promover a vinda de turistas a ilhas com menor procura, salientando que existe "uma diversidade geográfica por ilha" e em termos dos períodos para a prática da modalidade.

“Santa Maria é muito mais interessante de inverno e primavera porque é uma ilha mais seca e também mais quente. As Flores é uma ilha muito mais pluviosa, pelo que os períodos de maior potencial são a primavera, o verão e o outono. Em São Miguel, todo o ano é possível associado à animação turística e isto é uma das grandes vantagens também no combate à sazonalidade” do turismo, exemplificou.

Flores e São Jorge são consideradas as ilhas com melhores condições para a prática deste desporto, mas São Miguel, Santa Maria, Faial e Terceira têm também sinalizados percursos.

De acordo com Francisco Silva, as ilhas das Flores e São Jorge têm "um grande atrativo" comparativamente com outros destinos de 'canyoning' de montanha: "as cascatas com vista para o mar, algumas delas inclusive com saída na costa ou no mar".

"O ‘canyoning’ tem um enorme potencial para a animação turística, aliando o turismo de natureza à vertente de um turismo de emoções e experiências e esta é uma vertente que interessa também muito aos Açores", salientou ainda, lembrando que se trata de uma modalidade que pode ser praticada "quase todo o ano, à exceção dos períodos de chuva muito torrencial, por questões de segurança".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.