Açores estão a implementar 14 projetos de telemedicina

Açores estão a implementar 14 projetos de telemedicina

 

Lusa/AO Online   Regional   20 de Abr de 2015, 14:24

O Governo dos Açores espera ter a funcionar até ao final do próximo ano cerca de 14 projetos de telemedicina para tornar mais rápida a acessibilidade a alguns cuidados de saúde, revelou hoje o presidente do executivo.

"Estamos a falar de cerca de 14 projetos, alguns estão já em fase mais adiantada de implementação mais avançada, como é o caso deste, da dermatologia. Mas são tudo projetos que vamos até final da legislatura trabalhar para que fiquem concretizados o mais rapidamente possível", disse Vasco Cordeiro.

O presidente do Governo Regional dos Açores falava aos jornalistas no centro de saúde das Velas, na ilha de São Jorge, depois de ter assistido a uma consulta de dermatologia com recurso à telemedicina, tendo sido usada uma plataforma informática que está já disponível em todas as Unidades de Saúde de Ilha (USI).

Os 14 projetos abrangem diversas áreas e especialidades médicas, estando já implementado um deles em todas as USI (suporte ao tratamento de feridas). Segue-se agora a dermatologia, estando previstos projetos para áreas relacionadas com a reumatologia, a obstetrícia, a cardiologia, a endocrinologia ou o aconselhamento médico em casos de emergência e eventual necessidade de "evacuação médica aérea".

Vasco Cordeiro disse que neste último caso, o executivo açoriano está convencido de que o projeto "pode ajudar muito" à "forma, à comodidade, à segurança e à rapidez para uma tomada de decisão".

A aposta na telemedicina pretende justamente "tornar mais cómoda, mais rápida, no fundo, mais fácil a acessibilidade [de quem reside nos Açores] aos cuidados médicos", enfatizou Vasco Cordeiro.

"Este exemplo que acabámos de ver ilustra bem a facilidade, a comodidade e a rapidez com que, quem necessitar de determinado tipo de cuidados médicos, através da telemedicina, consegue tê-los de uma forma que dispensa ter de se deslocar para outra ilha, que dispensa a perda de tempo, que dispensa, no fundo, o incómodo de ter de se ausentar", sublinhou ainda.

Vasco Cordeiro ressalvou que, "obviamente, a telemedicina não substitui todas as necessidades" e que o Governo Regional não está a fazer esta aposta "para evitar a deslocação de médicos especialistas".

"Apostamos na telemedicina porque isso é melhor para os jorgenses, bem como para todos os açorianos. Não dispensa a deslocação de especialistas. Quando muito, permitirá uma maior eficácia e um maior aproveitamento dessa deslocação", afirmou.

O Governo Regional dos Açores iniciou hoje uma visita à ilha de São Jorge, que termina na quarta-feira.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.