Açores criam reserva mínima de gás e farinha para evitar ruturas nas Flores

Açores criam reserva mínima de gás e farinha para evitar ruturas nas Flores

 

Lusa/AO Online   Regional   28 de Jan de 2016, 05:35

O Governo dos Açores decidiu criar uma "reserva mínima de gás e farinha" nas Flores, a ilha mais ocidental da Europa, para evitar a rutura destes bens essenciais, sobretudo durante o inverno.

 

A medida foi hoje anunciada, em comunicado, pelo secretário regional do Turismo e Transportes, que encarregou o Fundo Regional de Coesão de criar essa reserva de segurança nas Flores, a exemplo do que já acontece atualmente na vizinha ilha do Corvo, a mais pequena do arquipélago.

De acordo com o gabinete de Vitor Fraga, esta decisão resulta das "recentes dificuldades em assegurar o normal abastecimento" às Flores, na sequência das condições meteorológicas adversas, que impedem, por vezes, a escala da ilha por via marítima.

"A medida visa evitar a rutura destes bens sempre que, por motivos meteorológicos ou técnicos extraordinários, não possa ser garantido o seu normal abastecimento", adianta a mesma fonte.

O Fundo Regional de Coesão já encetou, entretanto, contactos com a Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores com o objetivo de avaliar o melhor local para a instalação de um parque de armazenagem de gás, com um ‘stock’ mínimo de garrafas, a que se possa recorrer quando for necessário.

O Governo dos Açores refere que o abastecimento de gás à ilha das Flores tem sido reforçado nos últimos tempos, mas lembra que esse reforço "não produz, na íntegra, os seus objetivos", uma vez que a população local tem adquirido garrafas "em quantidades acima do que é frequente", por receio de escassez do produto.

O executivo recorda que, de acordo com a portaria 460/2011, cada habitação só pode armazenar "quatro garrafas de gás" e que qualquer situação que ultrapasse esses limites, não só não é legal, com o pode colocar em risco a segurança das pessoas.

"Assim, apela-se à boa compreensão da população para que não se cometa exageros no armazenamento de botijas em casa", acrescenta o mesmo comunicado.

O executivo regional adianta ainda que, no próximo sábado, o navio de transporte de mercadorias “Sete Cidades” (que não chegou a operar no passado dia 22 de janeiro naquela ilha, devido a uma avaria na grua) regressa às Flores para "repor a normalidade de abastecimento local".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.