Açores avançam com sistemas de monitorização de zonas costeiras

Açores avançam com sistemas de monitorização de zonas costeiras

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Nov de 2016, 15:53

O Governo dos Açores vai instalar sistemas de monitorização de zonas costeiras onde a vulnerabilidade de pessoas e bens é elevada, anunciou hoje o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia.

 

Ao discursar no parlamento regional, na Horta, ilha do Faial, onde prossegue o debate da proposta do Programa do Governo dos Açores para esta legislatura, Gui Menezes começou por explicar que o executivo vai continuar “a responder aos desafios impostos pelas alterações climáticas e riscos naturais na orla costeira do arquipélago”.

“Para tal, este Governo irá prosseguir as intervenções para a proteção das zonas costeiras, especialmente aquelas que estão identificadas como mais vulneráveis aos riscos de erosão e onde a ocupação do território é mais intensa”, afirmou Gui Menezes, uma das novas caras do executivo açoriano, que tomou posse no passado dia 04.

Segundo o governante, vão ser implementados “sistemas de monitorização de zonas costeiras onde os riscos de erosão são conhecidos e a vulnerabilidade das pessoas e bens é elevada, permitindo a mitigação dos impactos por sistemas de alerta em tempo real”.

“A prevenção e a mitigação dos riscos decorrentes da erosão costeira exigem que sejam implementadas medidas de ordenamento do território no quadro dos Planos de Ordenamento da Orla Costeira”, declarou, defendendo a necessidade de prosseguir com “o processo de revisão e atualização” destes documentos.

Sobre as pescas, setor responsável por cerca de 20% das exportações do arquipélago, Gui Menezes considerou que “exige uma ação política consistente e determinada”, comprometendo-se com a continuidade da “estratégia para a melhoria do rendimento e sustentabilidade desta atividade na região”.

“Pretendemos dar continuidade às medidas do documento estratégico ‘Melhor pesca, mais rendimento’, tendo em vista pescar menos e vender melhor, garantindo o respeito pelos recursos existentes e, simultaneamente, um rendimento digno para os profissionais da pesca”, adiantou o responsável, assegurando, igualmente, investimentos na manutenção da rede de portos e de infraestruturas de apoio à pesca.

Neste aspeto, salientou a reestruturação dos serviços de apoio ao pescador pela Lotaçor (empresa pública que tem por missão realizar todas as operações de primeira venda de pescado e respetivo controlo) em articulação com as associações do setor.

Gui Menezes anunciou ainda a intenção de “reforçar a coordenação regional da fiscalização do mar dos Açores com a Marinha, a GNR e a Força Aérea, e continuar a apostar na utilização de meios tecnológicos para melhorar a eficácia da atividade inspetiva”.

Sobre o Azores International Research Center, “um centro de investigação internacional que trará uma dimensão científica e de negócios muito importante em áreas como o espaço, a energia ou os oceanos”, o governante sustentou que o Governo Regional está empenhado na sua instalação.

“Este é um projeto que, ao concretizar-se, irá mudar por completo a relevância dos Açores e do país no contexto da investigação internacional”, afiançou, acrescentando que o executivo açoriano quer também “aproveitar sinergias e potenciar o surgimento de um espaçoporto nos Açores para o lançamento de microssatélites e que atrairá investimento internacional”.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.