Violência interconfessional continua a ameaçar Iraque


 

Lusa / AO online   Internacional   11 de Fev de 2010, 17:06

Sinais crescentes de tensão entre xiitas e sunitas, um calendário político delicado e a progressiva retirada americana mantêm vivos os receios de que a relativa diminuição da violência nos dois últimos anos no Iraque não corresponda a mais do que uma trégua.
O sangrento atentado suicida contra um cortejo de peregrinos que se dirigiam a Kerbala, a cidade santa xiita, no passado dia 1 de Fevereiro, veio mostrar que xiitas e sunitas não enterraram o machado de guerra e que a coabitação interconfessional no Iraque continua frágil.

O atentado veio confirmar sinais crescentes de tensão entre xiitas e sunitas e ocorre em vésperas de umas eleições gerais, a 7 de Março, que se anunciam cruciais para a repartição de poderes entre as diversas comunidades do Iraque.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.