Vila alentejana de Marvão está transformada num bazar islâmico para homenagear fundador

Vila alentejana de Marvão está transformada num bazar islâmico para homenagear fundador

 

Lusa / AO online   Nacional   6 de Out de 2012, 12:01

A histórica vila alentejana de Marvão (Portalegre) está transformada num bazar islâmico, para recordar a época da sua fundação, com a realização da sétima edição do Festival Al Mossassa.

 

O evento, promovido pelo município, decorre até domingo e tem como objetivo recordar o fundador de Marvão, o guerreiro Ibn-Marúan.

“Este evento é importante porque serve para celebrar a fundação de Marvão. O Festival Al Mossassa tem também grande importância porque é assinalado aqui e em Badajoz (Espanha), que partilha o mesmo fundador”, recordou hoje à agência Lusa o presidente do município, Vítor Frutuoso.

Para o autarca, que indicou que o festival espera receber “cerca de sete mil visitantes” o Al Mossassa é um evento “consolidado” e que faz parte da “carteira de eventos” de Marvão.

O "Mercado das 3 Culturas” é um dos espaços mais importantes do festival, tratando-se de uma zona que reconstitui todo o ambiente de mercado da época da fundação de Marvão (século IX), podendo os visitantes encontrar um vasto leque de produtos e objetos relacionados com o Islão e a sua cultura.

De visita ao festival, Cristina Novo, natural daquele concelho alentejano, disse à Lusa que o Al Mossassa também é uma “oportunidade” para dar a conhecer os produtos daquele concelho, considerando ainda que “o ambiente e a música combinam com Marvão”.

Armando Inverno, residente no Barreiro (Lisboa), revelou por sua vez à Lusa que não visitava a vila de Marvão “há mais de 20 anos”, mostrando-se também “surpreendido” com a realização do evento.

O visitante adiantou que foi “apanhado de surpresa” com a realização do festival, lamentando a “falta de divulgação” desta iniciativa.

“Eu não sabia que havia este evento. Quando vi aqui o festival fiquei surpreendido porque não é vulgar este tipo de iniciativas”, disse.

O certame, com cerca de cem expositores, tem para oferecer aos visitantes pontos de venda de chás e ervas medicinais, venda de brincos, pulseiras e colares em prata, pedras semi-preciosas e trabalhos em osso e madeira.

As tradicionais jarras islâmicas, lâmpadas, flores secas, velas, espelhos, vidros, incensos e outros elementos de decoração, bem como sapatos, malas, túnicas, véus, cintos para dança do ventre, peles e tecidos coloridos e tatuagens temporárias, são outras das ofertas disponíveis.

Durante o certame, os visitantes podem também obter a leitura da sina nas mãos e adquirir louças e tapetes orientais, oriundos do Egito, Marrocos, Himalaias e da Tunísia.

A edição deste ano do Festival Al Mossassa conta ainda com uma exposição permanente de aves, passeios de burro e uma quinta com animais exóticos e do campo.

A animação junto ao Castelo de Marvão será assegurada por malabaristas, encantadores de serpentes, bailarinas de danças orientais, manipuladores de fogo e andarilhos.

Os ingressos para o Festival Islâmico "Al Mossassa" têm o custo diário de um euro por pessoa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.