Vice-presidente do Governo Regional da Madeira critica burocracia da União Europeia


 

Lusa / AO online   Nacional   11 de Jul de 2010, 13:06

O vice-presidente do Governo Regional, João Cunha e Silva, criticou hoje a burocracia da União Europeia ao não ter ainda disponibilizado a ajuda de “urgência” para a reconstrução da Madeira após o temporal de 20 de fevereiro.

“Acho inconcebível que dinheiro que deveria ser emergente e urgente só nos chega seis, ou sete ou oito meses depois quando devia chegar logo ou senão não era emergente nem urgente”, disse João Cunha e Silva à margem da visita da feira agro-pecuária do Porto Moniz.

“A União Europeia tinha sempre a possibilidade depois, se o dinheiro fosse mal aplicado, pedir a sua devolução, portanto, está tudo errado nesta matéria na União Europeia”, declarou.

O temporal de 20 de Fevereiro causou 43 mortos, oito desaparecidos, centenas de desalojados e 1.080 milhões de euros de prejuízos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.