Verão de 2018 tem sabor a basquetebol em Angra do Heroísmo

Verão de 2018 tem sabor a basquetebol em Angra do Heroísmo

 

AO Online   Regional   9 de Jul de 2018, 17:32

Arrancou a 2 de julho o I Campus de Basquetebol em Angra do Heroísmo. Um campo de férias recheado de atividades mas cujo ingrediente principal é o Basquetebol. Nuno Rodrigues, atualmente treinador da formação do Angrabasket, é o mentor da iniciativa que, nas primeiras semanas, contou com 50 inscrições. Para além de jovens terceirenses, iniciativa trouxe jovens oriundos de Espanha (que fizeram o mês completo), Lisboa e Porto.


Apesar das questões burocráticas terem atrasado a divulgação o I Campus de Basquetebol de Angra arrancou na data prevista e Nuno Rodrigues faz já um balanço muito positivo das primeiras semanas da iniciativa na ilha Terceira. Depois de participar em alguns Jamborees nacionais através da Federação Portuguesa de Basquetebol e ter realizado alguns campus enquanto treinador em Portugal e no estrangeiro Rodrigues achou que estava na hora de implementar este campo de férias com sabor a basquetebol também nos Açores.

"Era um desafio que há muito me andava a aliciar, no entanto quer pelas condições quer pela necessidade da modalidade aqui na ilha pareceu-me o momento ideal”, adiantou Nuno Rodrigues ao Açoriano Oriental. O treinador admite querer reavivar o protagonismo que o basquetebol já teve na ilha Terceira e que entretanto foi desvanecendo.


O mentor da iniciativa adianta ainda que as condições são bastante favoráveis para atrair adeptos da modalidade de fora da ilha e tornar o campus marcante: “Aliar o basquetebol, a beleza e riqueza desta ilha parecem-nos os ingredientes essenciais para tornar o Campus inesquecível. Tentamos associar a isso um conjunto de treinadores com bastante experiência ao nível da formação para que desta partilha proliferem momentos de aprendizagem ricos.”


O campus conta com atividades diversificadas tais como passeios de barco, canoagem, visita ao Forte de S. Sebastião, visita ao Centro histórico, peddy papper, atividades Surpresa, mergulhos na Silveira e churrascos, o que, para o formador é um “enorme plus” relativamente aos campos de férias realizados no continente onde as atividades exteriores são menos exequíveis.

As parcerias aconteceram de forma natural sendo que a Associação de Basquetebol da Ilha Terceira agilizou algumas questões burocráticas e colaborou com a realização de um Clinic de formação de treinadores.


O campus conta com a presença de Vasco Oliveira (SLB), Daniela Lima (SC Farense), Daniela Gomes (FCP), André Cruz (SLB), Diogo Cunha (Universidade de Warwick), Pedro Veiga (SC Lusitânia), Carlota Silveira (C.U. Sportiva), e Samanta Carvalho (SLB).

O treinador responsável pela iniciativa adianta que a iniciativa pretende “acima de tudo, oferecer muito basquetebol, muito trabalho de técnica individual e a passagem para a sua aplicação em situação de jogo reduzido e posteriormente em jogo formal. Pensamos que, com o volume de treinos de uma semana perto de 6 horas por dia, teremos para a grande maioria dos atletas uma carga horária superior a 1 a 2 meses nos seus clubes.” Ainda assim os jovens terceirenses que não sejam atletas dos clubes locais também podem inscrever-se no campus que tem um custo semanal entre os 125 e os 150 euros ou em regime mensal onde os preços podem variar entre os 210 e os 250 euros.

Nuno Rodrigues é treinador de grau 3 e coordenador da formação do Angrabasket. Do seu currículo consta a passagem pelo Sport Lisboa e Benfica durante 11 anos tendo nos últimos dois coordenado toda a formação (19 equipas e perto de 40 treinadores). Também treinou o C.A. Queluz durante 4 anos onde foi também coordenador de minibasquete durante 2 épocas. Os primeiros passos de treinador foram dados no CIBA clube da Amadora que treinou durante 5 anos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.