Vasco Cordeiro diz que não há "riscos acrescidos" para a economia dos Açores

Vasco Cordeiro diz que não há "riscos acrescidos" para a economia dos Açores

 

Lusa/Ao online   Regional   30 de Set de 2018, 03:52

O presidente do Governo Regional dos Açores considerou, no sábado, que a conjuntura económica atual não representa “perigos ou riscos acrescidos” para o desenvolvimento do Plano de Investimentos da região, sublinhando que a economia enfrenta uma fase “substancialmente melhor”.

“Estamos numa fase substancialmente melhor do que aquela que ainda há alguns anos atrás vivíamos”, disse Vasco Cordeiro, explicando que a economia açoriana está exposta à conjuntura mundial, por ser “uma economia aberta”.

Contudo, ressalvou, “não se afiguram perigos ou riscos acrescidos, desse ponto de vista, para o desenvolvimento do plano de investimentos dos Açores”.

O presidente do Governo Regional e líder do PS/Açores falava no âmbito da conferência sobre o “Orçamento da Região Autónoma dos Açores para 2019 – No Caminho da Coesão”, realizada no sábado, em Ponta Delgada, em que participaram também os secretários Regionais da Educação e Cultura, Transportes e Obras Públicas, Energia, Ambiente e Turismo e Agricultura e Florestas.

Sobre a situação económica da região, Vasco Cordeiro adiantou que, segundo as últimas estimativas do Instituto Nacional de Estatística para o ano de 2017, os Açores ultrapassaram, pela primeira vez, “a barreira dos 4 mil milhões de euros de riqueza produzida” na região”.

Por outro lado, acrescentou, o défice de 2017 foi de 1,2% e o peso da dívida sobre a criação de riqueza rondou os 41%, valores que ficam “significativamente abaixo daquele que é o limite assinalado pela Comissão Europeia”, que é de 3% para o défice e 60% para o peso da dívida.

O governante explicou que o Plano de Investimentos dos Açores é “a concretização das orientações de médio prazo que, atempadamente, foram aprovadas na Assembleia Legislativa da região”, salientando que este cumpre com os critérios de “compromisso, participação, uma visão abrangente, uma prática democrática, que resulta, não apenas do cumprimento daquilo que estabelece a lei, mas, sobretudo, daquilo que é a convicção com que o partido socialista encara o desenvolvimento futuro da nossa região”.

A anteproposta do Plano de Investimentos para 2019 do Governo dos Açores é de 763 milhões de euros, dos quais 511 milhões representam o investimento direto a efetuar pelo Governo dos Açores, sendo que as restantes verbas serão executadas por diversas entidades públicas.

A Secretaria Regional da Educação e Cultura anunciou um investimento total superior a 67 milhões, para a Agricultura e Florestas estão reservados 173 milhões de euros e o valor do investimento previsto pela Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo é de 55 milhões, um crescimento de 5,5% face ao ano anterior.

Para a pasta dos Transportes e Obras Públicas estão reservadas verbas de cerca de 150 milhões de euros, repartidas entre Transportes, com cerca de 88 milhões de euros, Obras Públicas, com cerca de 51,5 milhões de euros, Tecnologias de Informação e Comunicação com sete milhões de euros e promoção da coesão regional, através do Fundo Regional de Coesão, com cerca de três milhões e 750 mil euros.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.