Vasco Cordeiro diz que alienação da Azores Airlines é aberta a quem quiser concorrer

Vasco Cordeiro diz que alienação da Azores Airlines é aberta a quem quiser concorrer

 

Lusa/AO online   Regional   27 de Fev de 2018, 14:15

O presidente do Governo dos Açores reiterou esta terça-feira que a alienação de 49% da Azores Airlines visa reforçar a capacidade competitiva da companhia, salientando que quem encarar o processo como uma oportunidade deve concorrer.

“Há muita gente que tem falado comigo e eu tenho falado com muita gente sobre esta matéria. Os objetivos, os calendários e o processo para a alienação de 49% da Azores Airlines são públicos. Aberto o procedimento para esta alienação, quem entender que, em face das condições que foram fixadas, pode e deve e vê nisto uma oportunidade, pois que concorra”, afirmou Vasco Cordeiro.

O presidente do governo açoriano falava à margem da inauguração das obras de ampliação da Unidade de Saúde de Rabo de Peixe (concelho da Ribeira Grande), em São Miguel, depois de questionado pelos jornalistas sobre eventuais conversações entre os executivos dos Açores e da Madeira, aquando da recente visita ao arquipélago madeirense.

Vasco Cordeiro disse que não há nada de concreto em negociações com a Madeira sobre a alienação de 49% da Azores Airlines, que faz voos de e para fora do arquipélago.

O governante vincou que esta alienação "não é apenas uma questão de capital", mas um reforço da capacidade da companhia a variados níveis.

O presidente do Governo Regional dos Açores nomeou no dia 21 deste mês a comissão especial que vai acompanhar a alienação parcial de até 49% da participação social indireta que a região detém na companhia aérea.

Na altura o executivo açoriano anunciou que competirá à comissão "fiscalizar a observância dos princípios e regras consagrados na lei, bem como a rigorosa transparência do processo", integrando a equipa três pessoas.

A comissão é presidida pelo advogado Luís Paulo Elias Pereira e integra ainda o economista António Gabriel Fraga Martins Maio e o professor universitário da área da gestão de empresas João Carlos Aguiar Teixeira.

Compete também à comissão, informou o executivo açoriano, "elaborar os pareceres e relatórios que o Governo dos Açores entenda necessários sobre as matérias relacionadas com o processo, apreciar e submeter aos órgãos e entidades competentes quaisquer reclamações que lhes sejam submetidas e publicar um relatório final das suas atividades".

Os membros da comissão, por solicitação dos próprios, não vão auferir qualquer tipo de remuneração, ficando ainda "vinculados, nos termos da lei, ao dever de sigilo quanto a factos e informações a que tenham acesso no exercício ou por força do exercício das suas funções".

No início do mês, Vasco Cordeiro tinha indicado que o processo público de alienação de 49% da Azores Airlines arrancaria ainda em fevereiro, na procura de um "parceiro estratégico" que garanta "robustez" à transportadora aérea.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.