Vasco Cordeiro defende criação de programas de intercâmbio jcom as comunidades emigrantes

Vasco Cordeiro defende criação de programas de intercâmbio jcom as comunidades emigrantes

 

Lusa/AO online   Regional   30 de Ago de 2012, 14:34

O candidato do PS/Açores à presidência do Governo Regional, Vasco Cordeiro, defendeu hoje a criação de "programas de intercâmbio" que divulguem a nova realidade do arquipélago junto das gerações mais novas das comunidades emigrantes

"As segunda e terceira gerações (de emigrantes açorianos), fruto da sua integração social e política e da projeção económica, constituem um dos elementos pelos quais deve seguir a promoção dos Açores modernos e como região europeia", afirmou Vasco Cordeiro, em declarações aos jornalistas no final de um encontro com Nélia Alves, presidente da Casa dos Açores da Nova Inglaterra, EUA, e Carmen Alberto, diretora da instituição na área cultural.

Vasco Cordeiro defendeu que as comunidades emigrantes constituem "verdadeiros porta-estandartes dos Açores nos países onde estão localizadas", acrescentando que os programas de intercâmbio podem ser "um bom exemplo para o conhecimento mútuo dos Açores atuais e da vivência das comunidades".

Neste sentido, sublinhou a importância de dar a conhecer às novas gerações de emigrantes "a realidade atual das ilhas, uns Açores modernos que têm apostado nas novas tecnologias, no empreendedorismo, na inovação, na formação, numa moderna rede de transportes e nas áreas da educação e saúde".

Um das questões analisadas neste encontro com as responsáveis da Casa dos Açores na Nova Inglaterra foi o voto dos emigrantes nas eleições regionais.

"Não podemos votar nas eleições regionais, mas teríamos muito gosto que isso acontecesse porque ainda estamos muito ligados à nossa região e, de alguma forma, gostaríamos de contribuir para as decisões que acontecem no arquipélago", afirmou Nélia Alves, acrescentando que uma das propostas que apresentaram diz respeito ao voto dos emigrantes nas eleições regionais.

Para Nélia Alves, essa seria uma forma de "estreitar cada vez mais as relações institucionais", já que, ao nível afetivo, a relação entre os Açores e as suas comunidades "é bastante evidente".

A presidente da Casa dos Açores da Nova Inglaterra também considerou importante "levar a nova geração de emigrantes à Europa e aos Açores", destacando o "potencial" que a comunidade açoriana nos EUA pode ter no "investimento, no empreendedorismo e a nível académico".

O documento entregue a Vasco Cordeiro reúne contributos de empresários, políticos e académicos que fizeram um percurso de sucesso nos EUA e consideram que a sua experiência pode ser aplicada nos Açores, nomeadamente em termos de investigação entre universidades ou na promoção turística dos Açores nos EUA.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.