Unidade de Neonatologia do Hospital de Ponta Delgada encerra devido a bactéria

 Unidade de Neonatologia do Hospital de Ponta Delgada encerra devido a bactéria

 

Lusa/AO online   Regional   30 de Jul de 2012, 16:50

A Unidade de Neonatologia do Hospital de Ponta Delgada, a única valência do género, está encerrada devido à existência de uma bactéria, anunciou esta segunda-feira o diretor do serviço de pediatria.

"A Unidade está fechada para a região, pois seria extremamente desagradável e não é boa prática médica estar a admitir recém nascidos sem ter a certeza de que a unidade está estéril", afirmou Carlos Pereira Duarte aos jornalistas,

A 21 de julho sete bebés internados na Unidade de Neonatologia foram contaminados com a bactéria Acinetobacter Baumannii, que permanece ativa 42 semanas.

Carlos Pereira Duarte revelou que quatro dos sete bebés contaminados já tiveram alta, um foi transferido esta manhã para Lisboa e dois permanecem isolados na Unidade de Neonatologia do Hospital de Ponta Delgada, sendo que "um deles deverá ter alta esta sexta-feira ou sábado".

"Esta madrugada um recém-nascido foi transferido, pelas 7:00 horas (8:00 continente), num avião C130 (Força Aérea), acompanhado de um pediatra para o Hospital D. Estefânia", disse o médico, assegurando que a "situação está controlada", embora não faça nenhuma previsão de reabertura da Unidade de Neonatologia.

O clínico disse que mudar de instalações "está posto de lado", alegando que "seria transportar o problema para outro lado, pois não sabemos como a bactéria entrou".

Devido ao encerramento da unidade, to as mulheres que tenham entre 28 e 31 semanas de gravidez e que os médicos entendam que os seus bebés venham a necessitar de cuidados intensivos neonatais irão nascer no continente.

"Já entrei hoje de manhã em contacto com a Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, que me vai enviar diariamente para o meu email as possibilidades que têm de acolher estes recém-nascidos", referiu, acrescentando que os serviços de pediatria dos hospitais de Angra do Heroísmo e Horta deveram fazer o mesmo.

O diretor do serviço de Pediatria disse que "a bactéria existe há pelo menos dois a três anos" no Hospital de Ponta Delgada e que "não têm sido toma as devi providências que deveriam ser toma".

Sem especificar, Carlos Pereira Duarte remeteu para o Conselho de Administração do Hospital de Ponta Delgada mais esclarecimentos.

Apesar da presidente do Conselho de Administração do Hospital, Margarida Moura, estar de férias, fonte hospitalar adiantou à Lusa que a direção irá pronunciar-se ainda esta tarde sobre este caso.

"Normalmente num hospital do continente provavelmente fechariam o hospital. Aqui não pode ser", disse o médico, apelando à calma e assegurando que "a situação está controlada e vai resolver-se".

A Unidade de Neonatologia foi criada no Hospital de Ponta Delgada há 24 anos para cuidar dos recém-nascidos prematuros ou com complicações, contando com seis médicos a tempo inteiro.

A Acinetobacter Baumannii é um micro-organismo que resiste a vários antibióticos e que aparece com alguma regularidade em ambiente hospitalar, sendo transmitindo por contacto pelas mãos e objetos ou através dos equipamentos de assistência ventiladora.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.