Um em cada dez doentes de artrite reumatoide reforma-se antecipadamente


 

Carmo Rodeia   Nacional   5 de Abr de 2010, 06:32

Um em cada dez doentes com artrite reumatóide foi "obrigado" a pedir a reforma antecipada devido ao impacto da doença, segundo um inquérito que será divulgado hoje para assinalar o Dia Nacional do Doente com Artrite Reumatóide.

O inquérito nacional "Artrite Reumatóide em Portugal - Viver ou Sobreviver?", foi realizado durante 2009 pela Associação Nacional dos Doentes com Artrite Reumatóide (ANDAR) junto de portugueses com esta doença e associados da instituição.

Segundo o estudo, cerca de 26 por cento dos inquiridos afirmam que a doença tem muito impacto na sua actividade profissional.

E, pelo menos, uma em cada 10 pessoas fica incapacitada para a vida, caso o diagnóstico não seja feito de forma precoce, refere a ANDAR, que assinala 15 anos de existência.

"Esta importante radiografia à qualidade de vida dos doentes vem confirmar o impacto da artrite reumatóide nas actividades mais triviais da vida diária, e o efeito no trabalho, produtividade e reforma antecipada" refere a presidente da ANDAR, Arsisete Saraiva.

A artrite reumatóide afeta cerca de 40 mil portugueses, sendo atualmente as mulheres entre os 30 e os 50 anos as grandes vítimas desta doença que atinge principalmente as articulações, provocando dor intensa e impossibilitando a realização de alguns movimentos, mesmo os mais comuns.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.